Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Revelação’ Category

Trabalho de Ian Potts

Novembro 17, 2007

 

No último capítulo da carta para Romanos Paulo conclui o seu epistolo com comprimentos para os irmãos e irmãs que se juntam na igreja em Roma. Paulo reafirma assim a sua completa confiança na mensagem do Evangelho entregue aos santos.

 

Tendo-se dirigido aos santos no capítulo 1 louvando a união que têm no Senhor Jesus Cristo no qual foram chamados através do Evangelho. Juntamente com este louvor Paulo agradece a Deus pela fé que os crentes demonstram e da qual é falada por toda a parte “Primeiramente dou graças ao meu Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé.” (Romanos 1:8). Da mesma forma no encerrar do seu epistolo ele louva as condutas diárias dos crentes, as obras que demonstram pelo amor que têm para com Cristo. Nesta igreja se demonstra um povo unido no amor de Cristo extraído de ambas partes, uma de judeus e a outra de gentios. Não se apresenta qualquer ambiguidade por parte dos crentes. Note que nacionalidades, raças, culturas ou interesses humanos não fazem parte desta união mas sim uma união em Cristo. Eles se apresentam unidos em Cristo pelo Evangelho – que outrora haviam sido escolhidos por Deus em eternidade por uma eleição eterna efectuada por Deus Pai e Deus Filho, eterna aliança. Esses crentes que foram redimidos pelo sangue derramado do Filho de Deus na cruz, agora acordados pelo Espírito de Deus para uma vida espiritual para que vivam e andem pela fé.

 

Apesar desta imensa verdade Paulo no verso 17 avisa os irmãos sobre todos aqueles que causam divisões na igreja pelas suas oposições a mensagem anunciada. A conservação e o bom estado da união da igreja repousa nos seguintes factores – uma fiel pregação e aderência ao Evangelho, aquela mensagem declarada desde o princípio e expandida em todos os epistoles. A origem de divisões consiste na partida desta mesma mensagem.

 

União não consiste em credos e confissões. Não se consiste em denominações ou em ordens de igrejas e muito menos em autoridade humana seja esta de Papas em Roma ou outra qualquer. Teologia humana com as suas tradições ou organizações muito espiritual que estas sejam ou se pareçam não são nada mais que simples vaidade. A unidade não se consiste nem é mantida por nenhuma destas coisas mas sim em Cristo e no Seu Evangelho da forma que é revelada pelo Espírito de Deus e tudo que se separa desta verdade cai em corrupção. Não é Deus o autor da vida pois Deus é vida e Nele não existe morte. “O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo. E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade.” Deus é luz e nele não existe trevas nenhumas mas em contrapartida tudo que origina da vontade do homem carnal é trevas especialmente aqueles que trazem doutrinas contrárias aos dos apóstolos causando divisões e ofensas. Pois por bom palavreado eles enganam os corações de muitos. Note e tome conta do que ouve. Como é vital esta mensagem e como é seria a advertência dos apóstolos para tudo que seja contrário da doutrina por eles expandida, note a advertência de Paulo aos crentes em Roma “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles.” Romanos 16:17.

 

Como devemos nós de receber a mensagem do Evangelho? Será que a devemos de a receber ligeiramente, superficialmente? A mensagem do Evangelho não deve de ser recebida como uma outra mensagem qualquer esta mensagem não pode ser comprometida.

 

Mas nós agradecemos Deus que o mesmo Evangelho que por Paulo foi declarado em Roma ainda se faz soar nos dias de hoje. Este Evangelho permanece fiel pois se não fosse não se poderia dizer que é o Evangelho eterno de Deus. É a mensagem daquela mesma fé que foi outrora entregue aos santos. Esta mensagem não muda com o tempo, é eterna. Não se pode adicionar nem subtrair e nem esta sujeita a opiniões ou objecções de homens, não se encontra sujeita a mudança das modas deste mundo ou as diferenças de culturas e pessoas. Se mantém certo e correcto. É a fé que antes foi entregue.

 

Esta é a mensagem que devemos de ouvir nos dias de hoje. A mesma mensagem que foi anunciada desde o principio e que se encontra gravada nas escrituras. 

 

É esta a mensagem que ouviu? É esta a fé que confessa? A fé que outrora foi entregue aos santos? Será que Deus lhe revelou este mistério?

 

Pois estas verdades têm de ser reveladas pelo Espírito de Deus e enquanto não for tudo permanecerá um mistério. Pois através da vinda de Cristo e as escrituras do N.T aquelas coisas se encontravam escondidas como segredo e mistérios foram revelados, coisas que só se encontravam vistas como figuras e tipos e profecias agora reveladas em Cristo, da mesma forma agora nos dias de hoje até que Deus abra os olhos do homem para que se possa ver. E se Deus não o fizer tudo permanecera um mistério. Até que o Espírito de Deus tome as palavras das escrituras e as assopre nos corações, até que Deus proclame o Evangelho a nós em poder a verdade permanecerá nada mais que palavras gravadas numa pagina. Um mistério escondido aos olhos dos homens. Nós podemos ler a Bíblia, podemos devorar inúmeros livros podemos até ouvir um pastor mas tudo permanece longe das nossa compreensões tudo é confuso e nada mais do que simples informação. Não interessa o quanto é inteligente ou quanto é sábio tudo permanecerá um mistério escondido mesmo debaixo dos nossos olhos até que Deus pela Sua misericórdia se agrade em nos ensinar a nos rebaixar a Sua imensa gloria e majestade como de numa forma de criança e em humildade pois Jesus disse “Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.Mateus 11:25.  

 

Quando Deus nos revela a verdade como quem tira um trapo que previne o olhar, abrindo os olhos para podermos ver a verdade que se revela no Evangelho ai sim tudo fica claro. Depois tudo que se encontrava escondido e oculto por causa dos pecados da carne se torna visível, o que dantes era uma sobra escura pela graça de Deus se torna real como tudo é feito manifesto pela luz do sol após uma noite de escuridão. Tudo é revelado pela aquela luz divina – Cristo. O que dantes era um conhecimento da letra sobre as escrituras, um simples conhecimento sobre Cristo por Deus se torna num conhecimento de Cristo pela experiencia do Espírito.

 

Eu pergunto de novo, será que Deus já lhe revelou este mistério? Será que Deus já lhe revelou Cristo através do apregoar do Evangelho? Aquele ‘Evangelho que é o poder de Deus para a salvação?’ aquele “mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos;” (Colossenses 1:26) que declara “as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;”(Colossenses 1:27). Pois “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.” Timóteo 3:16. Será que este Evangelho já lhe foi revelado?

 

Pois a salvação não descansa em nenhuma outra mensagem – porque Cristo o Salvador não é revelado em nenhuma outra mensagem. Qualquer que se seja a variação daquela fé que outrora foi entregue aos santos, muito menor que seja é o mesmo que partir da verdade e do poder da salvação. A nossa grande necessidade nos dias de hoje é voltar de novo para a verdade que outrora, no princípio foi entregue aos santos, em primeiro por profetas e depois por Cristo e depois pelos Seus apóstolos. Não para aqueles grandes dias do passado da igreja. Não para o grande acordar nem para os tempos da reformação em 1689, 1646, ou 1500 não para o tempo de Lloyd – Jones, Philpot, Spurgeon, Whitefield, Luther ou Calvin. Mas sim voltar ao princípio. Voltar de novo para o Evangelho da forma como se encontra gravado nas escrituras, da forma como foi revelado por Cristo e seus apóstolos. Voltar de novo para a fé que outrora foi entregue aos santos. Voltar para aquela fé que Paulo anunciou e expandiu nos seus epistoles para os romanos.

 

Será que Deus já lhe ensinou esta fé? O verdadeiro e único eterno Evangelho? A única verdadeira mensagem?

 

Já lhe foi revelado no coração no homem interior pelo Espírito através da palavra por aqueles que Deus enviou com a Sua mensagem? Mensagem e palavra que entrou no coração não de uma forma exterior mas sim entrando em poder no Espírito Santo e com muita segurança?

 

Que Deus se agrade em soar esta mensagem com o Seu poder nestes dias e nesta geração. A mensagem de Cristo a mensagem sobre a Sua salvação da Sua justificação em justiça através da fé e de uma eterna eleição. Mensagem sobre a justificação gratuita, salvação pela graça e não pelas obras da carne nem vontade do homem mas sim pela vontade do Senhor. Aquela salvação que é de Deus e não do homem que é de fé para fé – até mesmo a fé que outrora foi entregue aos santos.

 

Esta mensagem e não outra.

 

A fé de Jesus Cristo.

 

Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto, Mas que se manifestou agora, e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações para obediência da fé;

 

Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém.”

 

Romanos 16:25-27                                       

                                 

Amem

Read Full Post »