Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Romanos 1’ Category

No epistolo de Paulo para Romanos, Paulo apresenta-nos a verdade sobre o Evangelho de Deus referente ou Seu Filho nosso Senhor Jesus Cristo. Neste glorioso epistolo de Romanos nós podemos ler a mensagem de Deus para a humanidade sobre o Seu trabalho através da Pessoa de Seu Filho (Jesus Cristo), pelo qual Ele salvou o povo de Deus dos seus pecados. Eis aqui uma mensagem de grande importância e a mais grandiosa entre muitas outras.

  • Uma mensagem vital.
  • Uma mensagem relativa a mim e a você.
  • Uma mensagem de vida e de morte.
  • Uma mensagem sobre o céu e sobre o inferno sobre o tempo finito e eternidade sobre o pecado e sobre a salvação.
  • A mensagem sobre a verdade.
  • A única mensagem que tem importância
  • O Evangelho de Deus.

Agora a pergunta surge nas nossas mentes, ‘mas o que é que sabemos sobre o Evangelho?’ O que é sabe sobre o Evangelho de Deus? Sobre aquele Evangelho que Paulo anunciou tão claramente e de que não se envergonhava pois Paulo sabia que o Evangelho que lhe foi entregue por Deus era e é o poder de Deus para a salvação: “Porque no Evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”

Nos seguintes artigos nós podemos deitar um olhar sobre a verdade deste Evangelho na sua forma como foi revelado pelo epistolo para Romanos. Este Evangelho que é o poder de Deus para a salvação. Mensagem que nós precisamos de saber acima de qualquer outra. Mensagem esta do qual a nossas vidas pendem.

Separado para o Evangelho de Deus

Foi com estas palavras que Paulo faz a sua introdução na carta para Romanos:

Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus, que ele antes havia prometido pelos seus profetas nas santas Escrituras, acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, e que com poder foi declarado Filho de Deus segundo o espírito de santidade, pela ressurreição dentre os mortos

– Jesus Cristo nosso Senhor, pelo qual recebemos a graça e o apostolado, por amor do seu nome, para a obediência da fé entre todos os gentios, entre os quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo; a todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados para serdes santos: Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.”

O que se segue nos seguintes seis capítulos não são factos que se devem provar ou comprovar mas sim a verdade que se deve acreditar. O que se segue é e verdade do Evangelho de Deus – ‘A Fé’.

A Mensagem da Fé

Paulo introduz-se e em seguida apresenta o Evangelho de Cristo, o Filho de Deus (em primeiro lugar descreve a Sua Pessoa de Cristo, depois o trabalho que por Ele foi realizado) isto sendo factos reais e a verdade para se acreditar. Paulo não procura provar a verdade mas sim declara e anuncia a verdade. E o enviou deste mensageiro (Paulo) como sendo o mensageiro do SENHOR na mensagem do SENHOR o mensageiro também faz parte dessa mesma mensagem – “Então Ageu, o mensageiro do Senhor, falou ao povo, conforme a mensagem do Senhor, dizendo: Eu sou convosco, e diz o Senhor” (Ageu 1:13) sendo o mensageiro parte do Evangelho que por sua vez apresenta e o anuncia.

Porque o Evangelho pertence a Deus na sua totalidade pois foi Deus que o propôs e o trouxe, executando-o e anunciando-o – pelo Seu Espírito através daqueles que Ele envia para o proclamar. Não só esta mensagem contida no Evangelho é para ser acreditada mas como também é a mensagem de Deus e esta tem de ser acreditada. É apresentada para o acreditar da fé, foi trazida pela fé, recebida por fé e é “a partir da fé para fé” sendo a fé o ponto central da mensagem ao que as escrituras se referem como ‘Evangelho’. ‘A Fé‘ – “fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.” (Judas 1:3)

Com tudo isto em mente eu dividi os seguintes artigos em seis secções que apresentam a verdade do Evangelho da forma como Deus a trouxe e da forma como Paulo apregoou.

Estes são os títulos:

A Palavra da Fé

Falta de Fé

A chegada da Fé

A Luta da Fé

O Povo da Fé

A Vida da Fé

Que o Senhor abençoe a Sua palavra para a Sua gloria.

Amem.                     

      

 

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

November 26, 2007

 

Tradução por:

Luís Gomes

 

 

Paulo inicia a sua carta para Romanos declarando o seu desejo de pregar o Evangelho Cristo, “o evangelho de Deus… Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne; Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor” Paulo deposita uma confiança absoluta neste Evangelho sendo o poder de Deus para salvação.

 

(Rom. 1:16) “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.”

 Com o princípio, (Rom. 1:17)Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” depois Paulo conheça em capitulo 1 verso 18 a abrir e a expandir as verdades em cada capitulo.

 Pergunta:

Onde é que Paulo começa? Onde é que o leitor começaria?

Em muitas igrejas nos dias de hoje começariam por falar do amor de Deus o sobre a afabilidade de Deus para com a humanidade. Ó até talvez começariam por tentar oferecer aos pecadores algo que lhes falte em suas vidas. Algo para ajudá-los a sentirem-se melhor com eles mesmos. Isto não acontece com Paulo.

Paulo não menciona o amor de Deus até chegar ao capítulo 5. Então onde é que Paulo começa? Paulo começa com o princípio.

 Mas a onde começa o Evangelho de Cristo. Vejamos, leia Marcos 1:1-3 ele nos diz…

(Marcos 1:1-3) “PRINCÍPIO do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus; Como está escrito nos profetas: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas.”

O Evangelho começa com uma voz a clamar no deserto. ‘Preparai o caminho do Senhor.’ É Este o princípio. O que é que esta voz grita? Na carta para Romanos esta voz que diz, prepara o caminho do Senhor, declara o seguinte:

 (Rom. 1:18-20) Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.  Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;”

Um princípio: A Revelação da Ira de Deus

É desta forma que o Evangelho de Deus começa – começa com uma declaração. A Ira de Deus é revelada contra toda impiedade e injustiça dos homens. Começa com uma voz preparando o caminho para o Senhor dizendo aos homens que eles por natureza, são pecadores e que a ira de Deus está revelada contra esses pecados. 

É aqui que o Evangelho deve começar. Porque o Evangelho revela Cristo o Salvador de pecadores. É este o poder de Deus para salvação. É este o verdadeiro caminho para Cristo! Então temos que procurar pecadores que necessitam salvação, revelando-lhes o estado em que eles (todos nós) se encontram para com Deus, e a grande necessidade de se encontrarem em Cristo Jesus Salvador. São estes que estão perdidos neste mundo, mortos espiritualmente para com Deus, e os quais Deus faz suar o alarme. Um alarme que revela a Sua Ira contra toda impiedade e injustiça dos homens. Tal como foi revelada ao povo de Israel no monte Sinai após a saída do Egipto, e das garras sangrentas do faraó.

A grande maioria das instituições religiosas do mundo de hoje procuram convencer pessoas a serem Cristas. Mostrando-lhes um melhor caminho para no qual viver, mas todos aqueles que são enviados de Deus para anunciar o evangelho não são enviados para torcer vontades ó educar religião com cursos. Os enviados de Deus procuram as ovelhas do Senhor que estão perdidas por este mundo fora, a fim de lhes pregar a mensagem da salvação. Procurar e encontrar aqueles que se encontram em profundo desespero é o drive de homens que por Deus são instruídos e guiados. Ao encontrar as ovelhas do Senhor, estas se encontram famintas e cheias de sede pela verdade. Estes pobres pecadores são aqueles que o Espírito já lhes convenceu do pecado, justiça e do julgamento que á de vir. Sabem que a morte e eternidade os esperam a porta, e são estes que necessitam de ouvir falar sobre o Evangelho de Cristo Salvador.

O facto é este, até que Deus nos revele a falta que temos em sermos salvos a mensagem do Salvador não têm significado. Jesus disse por Suas mesmas palavras:

  E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.” Mateus 15:24. 

(Marcos. 2:17) “E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.”  

Sim o alarme tem que ser tocado, e o Evangelho anunciado por todos os telhados deste mundo fora… e é para este mesmo fim que Paulo em Romanos grita em capítulos 1:18 até capitulo 3:20, demonstra com provas incontestáveis que todo o homem está sobre o domínio do pecado, isto a fim de avisar as eternas consequências deste mesmo estado em que o se encontra.

(Rom. 2:8-9) Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade; Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;”

Há duas categorias de homens

Neste capitulo, Paulo divide a humanidade em duas categorias, judeus ou grego. Ó são religiosos ó gentios. Uma classe vai a igreja e a outra classe gosta de divertimento e de boas festas. Podem ser devotos ó então inúteis, mesmo que tenham as escrituras como o povo antigo judeu, em que tinha grande orgulho e confessam seguir Deus ó então vivem no mundo sem qualquer pensamento para com Deus vivendo egoistamente tratando só dos seus interesses e prazeres. Paulo mostra neste epistolo que todos são iguais a cerca de um respeito. Todos estão mortos em pecado. Fora de Cristo seja religioso ou não, judeu ó grego, pois não há diferença, todos têm pecado, todos são culpados perante Deus, todos se mostram condenados perante Deus, todos têm se extraviado virando costas para o Criador, todos são contenciosos e desobedientes à verdade rejeitando a sua revelação. Então por esta razão todos se encontram condenados e sem desculpa.

Três revelações da Luz

Porquê que é que os homens não têm desculpa? Porque a todos foi revelado a verdade de Deus de uma forma ou de outra, queira percebam o não. Desde de romanos 1:20 até romanos 3:9, o Espírito Santo nos mostra três revelações de Luz sobre a verdade de Deus e o que tem feito para o homem. Para o qual toda humanidade é mostra responsável, e mais cedo do que tarde terá que dar contas. Esta Luz de Deus deixa o homem sem desculpa.

Porque há Luz no acto da criação, luz na consciência e luz nas escrituras.

Em primeiro lugar há luz no acto da criação. Nós lemos em; (Rom. 1:19-20) “Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;”

Em segundo lugar, há luz na consciência; (Rom. 2:14-15) “Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;”

Ambas as revelações sobre Deus são feitas para todo homem, seja ele judeu ó gentio, religioso ó não religioso. Todos os homens têm o testemunho da criação do mundo por toda á parte, sobre o poder e Divindade do seu Criador. Todo homem por natureza têm consciência para o qual contêm testemunho da verdade e no qual frui em entender a diferença entre o bom e o mal. Mesmo assim por natureza todo homem ignora todas estas revelações. Ignoram a luz exterior e a luz interior sendo assim cegos para ambas por mérito dos seus pecados e depravação. Esta depravação é real e revelada no resto do capítulo 1, para o qual faz de uma leitura lúcida uma boa representação do estado do homem em pecado – o seu estado e o meu.

Ainda há uma terceira revelação da qual Paulo se refere e a qual se encontra nas escrituras.

(Rom. 3:1-2)QUAL é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.” Então podemos ver que o judeu tinha uma vantagem sobre os gentios por possuir a palavra de Deus, mas eles também estavam sobre o domínio do pecado. De certa forma por o judeu pensar em ter uma vantagem, eles como muitos outros do mundo religioso dos dias de hoje facilmente caíam na mesma decepção. Esta é uma armadilha muito antiga. Por se julgarem melhores que outros caiem em orgulho próprio. Por pensarem em ter mais Luz julgam outros, mas essa Luz manifesta-se exteriormente e não penetra no interior do coração, permanecendo pecadores e cegos para a verdade de Deus. 

(Rom. 2:17-29) “Eis que tu que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;  E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei; E confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, Instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei; Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio? Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós. Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna em incircuncisão. Se, pois, a incircuncisão guardar os preceitos da lei, porventura a incircuncisão não será reputada como circuncisão? E a incircuncisão que por natureza o é, se cumpre a lei, não te julgará porventura a ti, que pela letra e circuncisão és transgressor da lei? Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus.”

Então a Lei que Deus deu aos judeus fez as coisas melhores? – Não, de forma alguma, mas fez as coisas piores, porque a lei condena. A Lei veio para que haja o conhecimento do pecado tornando-nos condenáveis diante de Deus.

 (Rom. 3:19) “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.”

Como podemos ver Deus declara-se nos céus, no coração do homem e nas escrituras, (Bíblia Santa).

Mesmo tendo Deus a revelar todo isto quem é que vê? Quem compreende?

(Rom. 3:23) Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”

Não é surpresa que todo o homem está sem desculpa perante Deus. Não é surpresa que a Ira de Deus é revelada diante de toda impiedade e injustiça dos homens que guardam a verdade em injustiça. Porquê? Porque apesar destas três revelações de Luz que foram dadas para a humanidade o homem ainda se revolta contra a verdade, fugindo da verdade e Luz de Deus.

Apesar de hoje em dia termos estas três revelações da Luz de Deus, sermos beneficiados por termos o Evangelho, apesar disto tudo, o coração do homem é pecador, e maligno por natureza. Tão duro e sombrio é o coração do homem natural que nenhuma luz lhe consegue penetrar. Entra por um ouvido sai pelo outro. Nós podemos olhar, podemos ouvir, ler mas no fim ouvimos nada e vimos nada. O homem por natureza nada pode fazer, nem quer. A humanidade está sem entendimento e por natureza ninguém procura Deus.

Não há resposta neutra para Deus – todos nós extraviamos. (Rom. 3:9-12) “Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.”

Uma revelação interior:

Qualquer homem que se encontre em pecado resiste e não vem a Deus. A não ser que Deus por meio do Espírito Santo lhe abra o coração, e lhe faça brilhar a Luz da glória de Cristo. Só quando Deus nos revela a verdade, não somente no exterior mas sim no interior nas partes mais profundas do coração do homem, é que ele vem a Deus. Até essa altura nós permanecemos na escuridão. Podemos ouvir as palavras de um pastor ó até mesmo ler a bíblia diariamente, e continuar na escuridão. Porque a pergunta que deve perguntar a si mesmo é a seguinte: Já ouviu a voz do Espírito de Deus anunciando e revelando aquele alarme que Deus revela nas escrituras no seu coração? Será que pode afirmar com toda a certeza que Deste lhe falou no interior? Será que já lhe foi revelado o quanto está culpado e sem forma de pagamento?  

Visto que é Deus Espírito Santo que através da palavra quando anunciada, abre os ouvidos para ouvir, e os olhos para ver. Dando-nos Luz para ver a verdade do quanto a alma é corrupta e suja. Só então é que nós pecadores podemos ver um pouco do quanto somos depravados e nauseantes por natureza diante de Deus. Ai sim pode-se ver como somos cruéis, sujos e injustos perante um Deus puro e Glorioso.do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.” É só nessa altura que nós podemos olhar para Deus e Lhe pedir perdão.

Deus tem uma resposta no Seu evangelho para pecadores que o procuram nestas circunstâncias. Quando o nosso pecado é revelado, e em conjunto podemos ver o nosso estado corrupto perante Deus, quando aquele alarme toca e diz, o caminho está preparado, aí sim, nós conseguimos ouvir, e também falar compreendendo quem é o Salvador de pecadores, o Senhor Jesus Cristo. Realizando, nós escolhidos por Deus Pai, o trabalho que Deus fez por nós pecadores na cruz.

Já chegaste a este ponto? Será que podes afirmar teres ouvido o Evangelho e foi este Evangelho que ouviste no princípio? Já ouviste aquela voz que diz, prepara o caminho do Senhor. 

Já chegaste a este lugar?

Será que no passado, lá no princípio do teu caminho na fé terá sido este Cristo que ouviste ó foi outro Cristo?

Foi assim que começava o Evangelho que ouviste no passado? Prepara o caminho do Senhor!

Já te foi revelado que és pecador com a necessidade de um Salvador porque por ti mesmo nunca te poderás salvar? O será que na tua sabedoria como Paulo diz em, (Rom. 1:22) ” Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.”

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

Novembro 1, 2007

Tradução por Luís Gomes

No epistolo para Romanos, o apostolo Paulo declara com grande clareza, o porquê de não se envergonhar do Evangelho de Cristo.

(Romanos 1:16-17) “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego,. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”

Muitos dos que professam ser Cristãos também manifestam-se juntamente com Paulo de não se envergonharem do Evangelho de Cristo. Mas nos dias confusos de hoje, a pergunta que devemos perguntar a nós próprios, é a seguinte:

 Será que nós sabemos o significado do Evangelho?

 O apóstolo Paulo sabia não só o seu significado como também o poder do Evangelho, tornando-se por isso um apostolo ousado e forte na sua divulgação. Já ouvi um pastor a dividir o epistolo de romanos 1:16 em cinco títulos (partes). Vejamos estes cinco títulos a fim de poder extrair deles, conclusões claras. Nos cinco capítulos, o Espírito Santo revela-nos o que é essencial, a fim que possamos determinar o carácter e a importância de Cristo no Evangelho, para aqueles que acreditam.

 

Primeiro – o evangelho é definitivo

O evangelho de Cristo não é abstracto nem incerto, está bem definido. Assim, não se torna necessário adivinhar nem conjecturar acerca dele. Como prova disso, vejamos o que Paulo em Romanos 1:1-3 declara “PAULO, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus. O qual antes prometeu pelos seus profetas nas santas escrituras, Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne,”

Segundo – o Evangelho é objectivo

Como podemos provar que o Evangelho é objectivo, Paulo declara o seguinte: “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus”. O Evangelho tem uma mensagem objectiva e não subjectiva – pois é o poder de Deus para a salvação. O Espírito Santo trabalha aplicando no coração dos homens o Evangelho, demonstrando o poder de Deus para a salvação. Se não for o Espírito Santo a aplicar a palavra de Deus no coração dos ouvintes, todos ficarão mortos espiritualmente para com Deus. O Evangelho é o poder do Espírito, é a Espada que Deus usa não só para salvar os pecadores mas também para os acordar – levando-os a Cristo, afim de Cristo reconciliar os pecadores para com a vida em Cristo. O objectivo do Evangelho é o poder de Deus para salvação por meio de anúncio (pregação).

O que acabo de referir é reforçado pelos seguintes versos escritos por Paulo.

(1 Corinthians 1:21) “Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.”

(Rom. 1:21)Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.”

 (1 Pedro 1:23-25)Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;  Mas a palavra do SENHOR permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.

Terceiro – evangelho é efectivo

O Evangelho é o poder de Deus para a salvação, assim como o poder de Deus é efectivo e determinante na salvação. Não há outro poder igual neste mundo, mas para os que se julgam sábios e para os insensatos isto é estupidez. Como Paulo escreve na primeira carta para Coríntios:

(1 Cor 1:18)Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.”

 O que é que faz o Evangelho de Cristo tão eficaz e poderoso? Na carta de romanos Paulo nos diz;

(Rom, 1;17)Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”

Como se pode ver no verso Rom 1:17 a justiça de Deus de fé em fé faz o Evangelho todo poderoso. Aqui nestes como em outros versos está a mensagem que declara que o homem é pecador por natureza, natureza esta que lhe é foi atribuída através da queda do nosso representante (Adão). Quando Adão caiu em pecado, a morte e a ruína entrou no mundo. O homem peca diariamente e torna-se inimizade para com Deus. Representando-se na sua queda e culpado perante Deus, merece castigo eterno. Apesar da condição de pecador, em que o homem se encontra, Deus no seu grande amor enviou o seu Filho para nele tomar os pecados do Seu povo que foi escolhido em eternidade. Cristo através da Sua morte na cruz salvou o Seu povo do julgamento, para que fosse feita a justiça de Deus em Cristo. Para assim tornar o Seu povo justificado através do Seu mérito e trabalho na cruz, para toda eternidade, graça que lhe é oferecida gratuitamente. Veja-se o seguinte verso.

(2 Cor 5:21) “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.”

Esta justificação do pecador é o que nos é revelado no Evangelho de Cristo. Eis o poder da salvação de Deus em Cristo.

Quarto – o evangelho é electivo

O Evangelho é o poder de Deus para a salvação. Não do homem. O Evangelho é de Deus, e é a Sua mensagem sobre o trabalho de Seu Filho, Nosso Senhor JESUS Cristo, do qual morreu para salvar o Seu povo.

(Mat 1:21)E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”

O Evangelho foi da intenção de Deus (electivo), executado por Deus. É Deus que o proclama e aplica no coração de pecadores. Esta mensagem da salvação do povo de Deus, escolhidos em Cristo pode-se, encontrar-se em toda o Evangelho. Facto que podemos encontrar frequentemente em todas as escrituras.

(Efés 1:4-6)Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado,”

Como se pode verificar no verso de Efésios 1:4-6 o termo “electivo” significa que Deus escolheu um povo em Cristo para Cristo. Estas pessoas elegidas são descritas nas escrituras como “ovelhas” como se pode ler nas palavras ditas pelo Senhor  Jesus Cristo em  – João 10:15 ” Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas.”

Este povo (ovelhas) é aquele perante o qual Cristo deu a Sua vida, e que posteriormente é salvo não de acordo com as escolhas do homem, mas sim por decisão e vontade de Deus. Esta afirmação é reforçada pelos seguintes versos. 

(João 1:13) Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.”

(João 15:16)Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.” SIM, o evangelho é poder de Deus para salvação, sendo Deus que o aplica a quem a Ele lhe convêm por definição electiva. (leia Romanos 9)

(1 Pedro 2:9)Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”

 

(Rom. 9:6-8) ” Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; Nem por serem descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência. Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência.”

(Rom. 9:15-20) “Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?”

Quinto – o evangelho é retentivo

Em Romanos 1:16 é declarado como o Evangelho é efectivo há remição do povo de Deus. Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê;”. Deus salva o Seu povo por meio do anúncio do Seu Evangelho, não há nisto qualquer dúvida. Jesus Cristo deu a Sua vida em substituição, tomando em Si mesmo os pecados do seu povo.

Leia-se no seguinte verso:

(1 Pedro 2:24) ” Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.”

Sofrendo Ele mesmo a ira de Deus pelos pecados de muitos pecadores, através da Sua morte e derrame do Seu Santo Sangue – para os quais Cristo morreu (o seu povo). Permitindo assim que todos sejam libertos da morte e do pecado e da condenação para a vida eterna em Cristo.  

(Rom. 3:24) “Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”

(Efés 1:7) “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,”

(Colos. 1:14)Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;”

(Hebre 9:12) “Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efectuado uma eterna redenção.”

(1Pedro 1:18-19) “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,  Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,”

Não é surpresa nenhuma de Paulo não se envergonhar do Evangelho de Cristo. Pois Paulo sabia o seu poder, e o que significava para ele ser redimido. Ele sabia que foi Deus que o salvou, não pela sua própria vontade mas sim pela vontade de Deus (leia Atos 9).

Paulo também sabia o quanto é gloriosa a revelação da justiça de Deus no Evangelho, que ele lhe foi entregue por Deus. Igualmente sabia do significado do nascer de novo pelo poder da operação do Espírito Santo. Acima de tudo, Paulo conhecia intimamente o seu Salvador, que o amava, e pelo qual deu a Sua vida na cruz, (ó como é glorioso o nosso Senhor Jesus Cristo).

Será que também você conhece este Evangelho e este Salvador tal como Paulo conhece?

Será que você também acredita no Evangelho de Cristo, e não se envergonha dele?

(Apoc. 14:6-7) “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo,  Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.”

AMEM

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

Novembro 1, 2007

 

Tradução feita:

Luís Gomes

 

“Evangelizar Efectivamente”

 

 E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma.” Romanos 1:15

 

Vivemos dias onde parecem chover livros, a aconselhar como evangelizar eficazmente e como aumentar o número de crentes na igreja. Obtendo-se assim desta forma os resultados desejados pelos evangelizadores.

Existem nas prateleiras das livrarias europeias e americanas abundante material religioso, tais como: “Evangelizar efectivamente” ó “10 passos para alcançar sucesso na igreja” “Métodos Dinâmicos de Aumento na Igreja”. (“Effective Evangelism” or “10 Steps to a Successful Church”, or “Dynamic Church Growth Methods”). Este fenómeno talvez não se verifica com tanta predominância nas livrarias portuguesas.

Estes livros escritos por aparente pastores amigáveis, têm como objectivo ensinar outros pastores seguidores como transmitir da melhor forma o Evangelho. A mensagem transmitida neles, visa aconselhar e satisfazer as necessidades dos crentes. Conseguindo-se assim encher igrejas com crentes vibrantes, ávidos de necessidades supérfluas. 

A mensagem transmitida segue uma estratégia bem definida, tal como:

  • Qual é o tempo mais adequado para uma mensagem (sermão).

 

  • Deviríamos ter um sermão o não.

 

  • Qual é a linguagem mais adequada.

 

  • Se é necessário alguma ajuda tecnológica com vista a obter os melhores resultados – cativar os mais jovens e não só “o mais gordo / mais magro, o mais alto / baixo”.

Usando para tal livros, vídeos, cursos e seminários adequados, em ordem a conseguir que os crentes se sintam entusiasmados. Esta metodologia seguida tem provado excelentes resultados, apesar do mérito discutível dos livros.

 

 

 

Não há qualquer dúvida que estes métodos têm sido eficazes, para encher igrejas. Eles servem-se das mesmas estratégias seguidas no mondo dos negócios e vendas.

 

Se o nosso desejo é encher uma sala de pessoas cheias de entusiasmo, bem-disposta, e felizes, por estarem adorar um deus que promete prosperidade, nesta e na próxima vida, haverá meios e formas mais eficazes de se alcançar esses resultados. Eu já vi isto acontecer vezes sem conta.

Não é nesta forma de evangelizar que eu, e outros pecadores nos revemos. 

A grande necessidade de pecadores como eu, que se encontra morto por ofensas e pecados, é ser levado á convicção dos pecados, através do trabalho do Espírito Santo. Deus tem em Suas mãos os destinos das nossas almas para toda a eternidade. É Deus Pai que nos leva a gritar por misericórdia e a pedir perdão para a salvação das nossas almas. Deus faz este trabalho afim de poder ver os pecadores que por Ele foram escolhidos em Cristo, para nascerem de novo, serem salvos do poder da morte e do pecado, para a salvação da vida eterna em Jesus Cristo Seu Filho. Para no fim ver o Seu povo todo junto como um único corpo, unidos em Cristo. Agora sim, é possível compreender como uma pessoa que adora Deus em espírito e em verdade, requerer não só um método diferente, mas também uma mensagem diferente daquela oferecida pelos livros e vídeos que acima descrevi.

 

Na carta para romanos, Paulo escreve com firmeza que foi Deus que lhe deu o método de anunciar o evangelho e não por astúcia ou filosofia dos homens.  

 

(Rom, 1:16-17) Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.” 

Por este verso podemos chegar a conclusão que Paulo não se envergonha do Evangelho de Cristo. Foi este Evangelho de Cristo, que Paulo anunciou aos crentes em Roma, e também em Coríntios, Efésios, Gálatas, Filipense, Tessalonicenses, e Colossenses. Este foi anunciado para ambos os judeus e gentios, e foi por este meio que Deus determinou para a salvação do seu povo, alimentando-os e construindo a igreja espiritual de Deus. Assim soma crentes de dia para dia. Porquê?

Porque é o poder de Deus na salvação. Este é eficaz, funciona sem aditivos, salvando todos aqueles que procuram ser salvos pelo trabalho e obra do Espírito Santo. É por este mesmo meio que Deus salva o seu povo e constrói a Sua igreja. Nada mais é necessário.

Assim, os guias e métodos modernos propostos hoje em dia, anunciam uma mensagem, mas esta sem o Evangelho de Cristo. Estamos assim perante um outro evangelho, o qual não foi anunciado por Paulo, nem determinado por Deus. Por essa mesma razão Paulo escreveu o verso seguinte:

(1 Corinthians 1:18-21) Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.”

Estes guias prometem um evangelizar eficaz, contudo sem o Evangelho de Cristo, o evangelizar não faz sentido a luz dos olhos do povo de Deus. Razão esta que me leva a concluir que os evangelistas modernos se envergonham do Evangelho de Cristo. Paulo nunca se sentiu envergonhado. Ele sabia que era só o Evangelho de Cristo tinha o poder de Deus para salvação de pecadores. “Porque é o poder de Deus para a salvação daqueles que acreditam.” Em contrapartida muitas igrejas que professam ser sábias e prudentes fazem vista grossa e ouvidos moucos para a mensagem de Deus, e para todos aqueles que são enviados por Deus. Que seja do bom agrado de Deus, para nos dar elegância espirituosa para ver que não há poder em coisas terrestres, mas sim no Evangelho do nosso SENHOR Jesus Cristo. O evangelho de Cristo em si mesmo, não necessita de aditivos carnais, porque é o poder de Deus para quem o recebe no coração através do trabalho do Espírito Santo de Deus. É esta graça divina (no Evangelho) que abre os ouvidos dos pecadores por Deus escolhidos, para a mensagem e para o Cristo. Deus leva o seu povo a rezar, para que o avanço do Glorioso Evangelho de Cristo seja anunciado com o poder do Espírito Santo. Para que nos dias de hoje se abram as portas a salvação das almas do povo de Deus para a Gloria do Seu Sagrado Nome, agora e para sempre de acordo com a Sua vontade.

Não só o povo de Deus reza nos dias de hoje, mas também Paulo rezou pelo avanço do Evangelho de Cristo e alertou para os variou perigos espirituais:

Colossenses. 4:3 Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso;”

(2 Corintios 4:-3-7) “Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o SENHOR; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus. Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós.”

AMEM

Read Full Post »