Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Romanos 13’ Category

Trabalho de Ian Potts

Dezembro 21,2007

 

Porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Romanos 13:8

 

No capítulo 13 de Romanos Paulo encoraja o povo de Deus a andar perante outros tal como aqueles que no passado andaram pela fé, como todos aqueles que se amam uns aos outros pela fé “fé que opera pelo amor” Gálatas 5:6. Paulo esforça os crentes a necessidade de se submeterem-se aos que têm poder sobre eles, sabendo que é Deus que os coloca neste mundo afim de os fazer bem pois estes poderes são os “ ministro de Deus para teu bem” diz Paulo pela autoria do Senhor. Quais são estes poderes? Bem são os governos que governam o povo com as suas leis “Por esta razão também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo sempre a isto mesmo.” Sabendo que é Deus que os ergue e que um dia Deus irá os derrubar mas até esse dia “dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto;” da mesma forma guardar temor, a quem temor é reservado a quem honra, honra.” Não fazendo algo de mal ao próximo mas sim bem pois em o fazer demonstra amor “porque quem ama aos outros cumpriu a lei.”. Para que toda a alma “esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação” Note caro leitor que Paulo não comanda o povo de Deus de volta para a lei para que esta os governe mas sim para que eles andem pela fé que opera amor e ao fazer isto a lei é cumprida. “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Romanos 13:8

 

A expressa exortação de Paulo é para se vire das trevas para andar “honestamente, como de dia” como crianças da luz tendo colocado ou vestir “as armas da luz” fazendo nenhuma previsão para a carne para “não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.” Mas sim andar pela fé sendo guiados pelo Espírito, e “revesti-vos do Senhor Jesus Cristo” pois “o Justo viverá da fé“.

 

Esta exortação para que o povo de Deus para que ande pela fé do qual opera amor encontra-se por toda a parte no Novo Testamento sempre que a nova vida da fé nos é apresentada. Exemplo deste facto: Jesus diz em João 13:34-35 “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.

 

Consideremos então este novo mandamento que nos é apresentado no Evangelho e a forma como ele se revela na nova vida de fé.

 

No começo do Evangelho segundo João o Senhor Jesus Cristo é introduzido como sendo o Verbo (Palavra) de Deus, Ele que é vida e a luz dos homens que brilhou nas trevas “E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.”. Enviado aos Seus, os judeus mas eles não o receberam. Apesar do fervor religioso dos judeus, apesar de terem os padres a lei o templo e as promessas, eles por sua vez são representados em João capitulo 1 como estando nas trevas quando Cristo veio ao mundo, e eles não receberam Jesus Cristo a luz de todos os homens. Qual foi o grande resultado da iluminação religiosa dos judeus juntamente com o zelo pela lei de Moisés? TREVAS.

 

Mas Cristo é luz. E o Evangelho segundo João marca Cristo como sendo essa Luz. Este é um livro sobre a luz e sobre a vida eterna – Jesus Cristo.

Cristo é representado cheio de graça e verdade. E esta verdade é posta em contraste com a lei de Moisés em João 1:17Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.” É claro que há luz em Cristo da qual não foi revelada pela lei. Existia uma glória pela lei mas esta estava coberta pelo véu e ainda se encontra coberta em comparação com a glória de Cristo e só Cristo pode retirar esse véu que cobre os corações dos homens. A glória de Cristo ultrapassa a glória da lei pelo Evangelho do que a lei não é nada mais do que uma sobra dessa glória é como uma vela em comparação com o brilhar do sol.

 

Este mesmo exemplo é revelado por João 14 verso 6 do qual se lê, “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.“. Novamente podemos ver que Cristo é a vida. Cristo é a Palavra de Deus e as Suas palavras são vida, “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida.” João 6:63 

 

Podemos então ver por este mesmo verso que existe algo diferente nas palavras de Cristo e nos Seus mandamentos – são palavras vivas e os mandamentos dão vida. São atendidos com poder. Porquê? Por causa de Cristo e quem Ele é – o Filho de Deus.

 

No capitulo 14 de João, Cristo demonstra este mesmo facto como sendo a revelação do Pai, que o Pai e Ele são Um só. “Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” 14:9

Aquele que acredita em Cristo acredita no Pai e aquele que rejeita o Filho rejeita o Pai. O Pai é glorificado no Filho, “E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.14:13  

 

Desde o verso 16 até o verso 19 Cristo fala em enviar o Consolador, o Espírito da verdade, pois Cristo estava prestes a partir do meio dos Seus discípulos. E após a Sua partida o Espírito guiara o povo de Deus há verdade. Aqui neste mesmo capítulo temos uma grande revelação sobre a verdade de Um Deus em três pessoas. É neste contexto que lemos o seguinte:

 

Se me amais, guardai os meus mandamentos…  Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” João 14:15,21.

No verso 23 lemos, “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.” E no verso 24 “Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.”

 

A chave para se poder compreender o significado dos mandamentos e o que significa em os guardar é colhido no verso 26, onde o trabalho do Confortador é desenvolvido:

 

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”          

 

É este o guardar dos mandamentos de Cristo, tudo aquilo que Ele falou. É em os guardar em recordação para os ensinar para acreditar e consequentemente para andar neste mundo em obediência aquilo que Cristo revelou. O trabalho do Espírito Santo é ensinar-nos estas coisas e a nos trazer tudo há lembrança.

 

As únicas pessoas que irão guardar as palavras que Cristo falou e mandamentos que Cristo comandou são aqueles que têm o Espírito, que o receberam de Deus em fé. Mas nem todos os homens o têm, “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.14:17 

Os judeus que confiavam na lei e nela descansavam rejeitaram Cristo. Porque eles não conheciam o Espírito ou por Ele eram guiados há verdade; assim não acreditando nem recebendo as palavras de Cristo e muito menos guardando-as.

 

 

A conclusão dos mandamentos e palavras de Cristo é para nós amarmos Deus, amar Cristo e habitar Nele. Nós temos vida eterna por causa de Cristo. A união do Pai, filho e Espírito Santo é marcada em João 14 e a nossa união com Deus como sendo aqueles que guardam, acreditam, relembram dando reverência aos mandamentos de Cristo e palavras são representados no amor que temos para com Deus e os nossos irmãos.

 

Todas estas ideias de união e de murar em Cristo, no Seu amor na Sua luz, guardando, amando as Suas palavras de graça e verdade são desenvolvidas no capitulo 15 onde nós lemos sobre a verdadeira Vinha e os troncos. A nossa vida como crentes é extremamente ligada a Cristo. Nós somos os troncos e Cristo é a Vinha e sem Ele nada podemos fazer. Nós residimos em Cristo e no Seu amor e por isso amamos as Suas palavras, os Seus mandamentos – os guardamos. Como é dito em João 15:9-10Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.”

 

Se nós guardamos as palavras de Cristo, palavras de graça e de verdade nas nossas mentes e nos nossos corações, se nós habitarmos em Cristo então nós habitaremos no amor-perfeito de Cristo. Não há outro caminho para o qual nós possamos permanecer no amor de Cristo. E por amor nós fazemos de boa vontade tudo que Cristo nos pede. Nós amamos a Sua palavra a guardamos como se fosse um tesouro sem preço e acreditamos nessa palavra pela fé. Nós andamos pela fé que opera obras “obras de fé“. É tudo uma questão de habitar, de andar na luz que só aqueles escolhidos por Deus, nascidos do Espírito podem operar – pois eles têm vida eterna.

 

Esta é a mensagem de João – a luz brilhou nas trevas. Que Cristo é essa luz e que Ele revelou o Pai, que para amar Deus nós temos de estar nessa luz; que nós temos de compartilhar nessa vida; que nós temos de habitar no amor de Cristo; andar no Espírito e acreditar em Cristo pela fé. E é o trabalho e vontade de Deus que façamos isto – não da vontade do homem mas sim pela vontade de Deus.

 

São estas as verdades que o povo de Deus acredita. Que Cristo é a luz dos homens. Que ele é vida eterna. Que nós só podemos conhecer o Pai através do Seu Filho. Que todos aqueles que habitam em Cristo amam o Pai. Que Jesus têm a palavra da vida eterna. Estas palavras são o coração e matéria dos mandamentos mencionados no Evangelho segundo João e também os que são mencionados no seu epistolo.

 

O primeiro epistolo de João começa de uma forma similar ao Evangelho. Cristo é posto como sendo a Palavra da Vida, a vida eterna que é manifestada e a mensagem que João declara no verso 5 é “esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.“. Este verso, esta declaração é o que marca o tom do epistolo de João tal como o Evangelho por ele escrito. O crente é figurado como um que anda na luz, que habita em Cristo e aquele que têm o amor de Deus e assim guarda os mandamentos.

 

Estes são os mandamentos mencionados em 1 João 5:3 

 

Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados.”

 

Que mandamentos são estes? A lei? Não porque nós que acreditamos regenerados pelo Espírito Santo estamos mortos para a lei pelo corpo de Cristo (Romanos 7). E estes mandamentos não são pesados em contra partida com os mandamentos da lei – eles eram pesados para os nossos pais de tal forma que eles não podiam aguentar o seu peso. Este leve fardo dos mandamentos de Cristo é mencionado em Mateus 11

 

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Mateus 11:27-30      

 

Quem são estes que são carregados com este fardo pesado? São todos aqueles que estão debaixo da lei que reconhecem que é um trabalho doloroso em tentar manter tudo que a lei demanda, que descobriram que o pecado dentro de si mesmos só multiplicava estando debaixo da lei e que ela os condenava que o que é bom e que aprovam não fazem mas o que eles não querem fazer fazem (Romanos7). Mas Cristo chama ao carregar do Seu fardo que ele é leve e fácil de se carregar. Este é o fardo dos Seus mandamentos que ao contrário do peso da lei é fácil de se suportar e não é doloroso tal como 1 João 5:3 diz.

 

Que mandamentos são estes? São aqueles mencionados por toda a parte no primeiro epistolo de João mas são sumarizados no capítulo 3 verso 23-24

 

E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado.” 

 

Os mandamentos são sumarizados no acreditar no Nome do Filho de Deus, Jesus Cristo e amar-se uns aos outros. Como é que podemos fazer isto? Somente pelo trabalho do espírito. Ninguém sem operação e trabalho do Espírito garantindo o dom da fé poderá um dia acreditar.  E ninguém pode amar Deus ou os seus irmãos excepto o Espírito trabalhe e plante aquele fruto e aquele amor dentro do coração. Mas se o Espírito trabalhar então de bom agrado acreditamos em Cristo e o amamos e aos irmãos também. Nós habitamos em Deus e Deus em nós. Deus habita em nós pelo Espírito. Nós andamos na luz e não em nas trevas. Nós temos vida eterna. Nós acreditamos em todas estas coisas pela fé e pela nossa experiencia diária.

 

Tudo isto é o mesmo que foi ensinado no Evangelho segundo João capítulos 14 e 15. Este conector em habitar em Cristo e sendo guiado pelo Espírito á verdade e em guardar os mandamentos; em acreditar em Cristo ama-lo e aos irmãos é tão forte nestas passagens que quando habitamos em Cristo nós o amamos. Estes mandamentos, estas palavras de Cristo são palavras de vida – resultando nas coisas que são por Cristo comandadas.

 

Nada do que foi até agora dito tem a ver com a lei. Nem sequer é mencionada apesar de a vermos em contraste em João 1:17. Os mandamentos de Cristo para que nós acreditemos na Sua pessoa e obra – (fé) e para que o amemos e aos irmãos também certamente guiará a uma nova vida que realizará todos os comandos da lei. Mas note que de forma alguma comanda o crente de novo para Moisés ou para a lei. Pois isso seria receber de novo o fardo pesado que nós não o poderíamos carregar sobre os nossos ombros. Esses mandamentos da lei são dolorosos, pesados e eles trabalham ira como nós podemos ler no seguinte verso:

 

Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar?”

 

 

Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.” Atos 15:10, 28-29

 

E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. E o mandamento que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou.” Romanos 7:9-11   

 

Mas os mandamentos de Cristo não são dolorosos pois eles são leves ao contrário dos da lei e esses que pertencem a lei nunca trouxeram luz mas sim deixaram os homens nas trevas. É debaixo do Evangelho e pelo Espírito que nós temos luz recebendo a vida eterna em Cristo, habitando no amor do Pai, Filho e Espírito pelo qual andamos na fé que recebemos pela oferta de Deus para sempre olhar para Cristo o Caminho a Verdade e a Vida. Guardando, acreditando e agarrando as palavras e mandamentos de Cristo e por Cristo amamos Deus e os nossos irmãos.

 

Em João 13:34-35 nós lemos:   

 

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.”

 

Um novo mandamento? Sim mas é um comando que vem de antiguidade. Então qual é a razão de se chamar um novo mandamento? Porque apesar dos mandamentos de Cristo, fé e amor estes são a realização da antiga lei mas de qualquer forma eles são novos mandamentos, estes não são a lei mas sim o Evangelho. Eles são palavras de vida, palavras viventes, a ministraria da justiça, considerando o contraste com a Antiga Aliança (lei) que condenava todos que se encontravam debaixo do seu reinado lhes trazendo morte sendo uma ministraria de morte. Leia 2Coríntios 3.

 

Existe um enorme contraste entre os mandamentos da lei de Moisés e as palavras da vida pronunciadas por Cristo. Palavras estas cheias de graça e verdade que saiam dos Seus lábios. A lei demanda e comanda os homens a trabalhos sem providenciar qualquer habilidade para que esses o possam fazer.  Toda a habilidade tinha e tem de vir do homem. Mas o homem estando cheio de pecado e ele realiza-se incapaz não tendo em si qualquer habilidade para poder cumprir aquilo que lhe é comandado pela Lei. A lei é espiritual e o homem é carnal como pode um que é carnal guardar aquilo que é espiritual? É simplesmente impossível, a lei veio para que a ofensa se revelasse e a impureza do homem fosse posta em vista perante os olhos de Deus para que carne nenhuma se julgue capaz de fazer aquilo que só Deus pode. “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.Romanos 3:19 foi para esta razão que a lei veio. Não para dar ou homem salvação mas sim para o condenar porque ele é pecador e tem orgulho no seu pecado.

O crente que ama os mandamentos se desejar os guardar encontra-se não só incapaz mas como também o bom que quer fazer não o faz. A lei simplesmente ateia o pecado que esta na carne deixando o homem completamente condenado pela lei. Leia Romanos 7.

 

As palavras de Cristo são vida. Elas são “as palavras da vida eterna“. Quando Cristo comanda poder é atendido ao comando da Sua palavra. Vida é derivada pela Sua palavra. Habilidade para fazer aquilo que é comandado é providenciado. Quando Cristo chamou o morto chamado Lázaro lhe disse “clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora.” e Lázaro saio. Nada era esperado que Lázaro fizesse pois ele estava morto mas as palavras vindas de Cristo providenciaram vida. Quando Cristo comandou o homem enfermo que se encontrava perto do tanque “Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda” (João 5:8) “Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava.” estes são os comandos de Jesus Cristo, comandos que dão vida para o qual nós somos chamados para guardar.          

 

E quem é que guarda estes comandos? São todos aqueles discípulos que Deus chama deste mundo, acordados pelo Espírito, levados a vida pelo comando de Jesus Cristo. Naquele tempo em que Jesus ensinava as multidões e quando muitos deixaram de o seguir Jesus disse aos Seus discípulos o seguinte:

 

Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.” João 6:67-69 

 

A quem devemos nós de ir? Cristo tem as palavras da vida eterna. Que o povo de Deus guarde as palavras de Cristo em fé, amor e em poder de uma vida sem fim.

 

Amem.

Anúncios

Read Full Post »