Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Romanos 3’ Category

Trabalho de:

Ian Potts

November 2, 2007

Tradução feita por: Luís Gomes

Romanos 1:17  Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”

Romanos 3:26Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.

No epistolo de Paulo para romanos encontra-se varias vezes e constantemente repetido a seguinte afirmação: “mas o justo viverá da fé“. Fé é o tema central do Evangelho, e sobre a salvação pelo Evangelho.

Em Romanos 3:26 lê-mos que Deus é o justificador dele que acredita em Jesus. Mas agora surge a pergunta: como pode um acreditar em Jesus? Mas o que é a fé? É esta pergunta que tem agitado muita gente criando confusão. Muitos pensam que a fé, um acreditar em certas coisas, acreditar que o homem pode reproduzir por si mesmo uma resposta exercitando a sua livre vontade a respeito do Evangelho. Mas as escrituras ensinam que o homem por natureza está morto espiritualmente perante Deus. A fé é algo que se tem de se receber de Deus, algo que se tem de se obter sendo uma oferta de Deus

Como podemos ler em Efésios 2:1E VOS vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,“. O homem na sua condição natural não só está morto espiritualmente como surdo e cego para as coisas de Deus excepto o Espírito de Deus lhe mostre.

Leia os seguintes versos em explicação deste mesmo estado perpétuo extraídos da palavra de Deus encontrados em 1 Coríntios 2:10-16

 “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.  As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.

Nenhum homem por natureza tem fé em Cristo é algo que lhe tem de ser dado por Deus. Como nós podemos ver claramente nos ensinamentos encontrados nas escrituras. A fé é uma oferta de Deus declara Paulo na carta para os crentes em Efésios 2:8

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.

Este é o fruto do Espírito, Gálatas 5:22Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Fé que é oferecida ao povo de Deus para que eles possam acreditar no Evangelho que lhes é anunciado.

Estes dons vêem por meio da palavra de Deus quando pregada e como prova, leia a explicação de Paulo na carta para Romanos 10:14-17

Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação? Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação”

Em Hebreus 11:1 nos é dito que a ” fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” é por este o princípio do qual o povo de Deus vive, porque “o justo viverá da fé.” E sem esta fé é impossível agradar Deus como podemos ler em Hebreus 11:6Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.”

A fé do povo de Deus é exemplificada pela fé do Justo que as escrituras falam – O Senhor Jesus Cristo; da mesma forma como Jesus andou neste mundo assim também o Seu povo. Enquanto Cristo olhava para o Seu Pai, da mesma forma a criança de Deus olha para Cristo pela fé apesar de saber que nós, o povo de Deus não temos uma fé perfeita como a de Cristo; porque Cristo que viveu em absoluta e perfeita comunicação para com Pai.    

Não só a fé é partilhada pelo povo de Deus com Cristo o Salvador como a fé em si não pode ser separada da verdade naquilo que acredita. A fé acredita, confia e descansa na verdade do Evangelho; e na fé por si mesma. Estas duas coisas estão extremamente conectadas. Um não pode ter uma pura fé sem que escute o Evangelho e por sua vez quando Deus pela obra do Seu Espírito se agrada em abrir os ouvidos daquele que escuta o Evangelho resultando em fé.

Há algumas pessoas que falam da fé sendo um estado mental em consenso pela verdade do Evangelho. Mas a verdadeira fé que nos salva é muito mais que um simples consenso ou estado mental da letra. Apesar de muitos rejeitarem a verdade, também é verdade que muitos dos que são religiosos dizem sim ao evangelho apesar de não terem uma real e pessoal revelação com o Filho de Deus sendo seus Salvador. Eles aceitam os factos, mas a verdade declarada por esses factos nunca lhes foi revelada no interior sendo real. Uma simples crença intelectual que o sangue de Cristo foi derramado para lavar os pecados do povo de Deus, não significa com certeza que nós somos uma dessas pessoas do qual o sangue foi derramado.

A verdadeira fé é mais do que um consenso mental. Fé é aquilo que nasce da nova vida, tendo sido nascido de novo pelo Espírito, (João 3) o crente agarra-se firme ao Filho de Deus sendo-lhe revelado no interior do seu coração que Cristo é o seu Salvador pessoal. O verdadeiro crente não vê o derrame do sangue de Cristo numa forma superficial, mas sim a sua aplicação no coração e na sua consciência.

A fé que salva é uma realidade e não um consenso mental. É aquilo que nós vemos e sabemos. É aquilo que nós acreditamos, confiamos, que agarramos firmemente. É uma revelação interior, no coração, declaração que o Filho de Deus nos amou e morreu por nós que acreditamos.

 Gálatas 1:15-16Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, Revelar seu Filho em mim,

Efésios 2:8-9Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;

AMEM

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

November 14, 2007

Tradução feita por:

Luís Gomes

 

 

Romanos 3:23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”

Eis um daqueles versos do qual ninguém pode fugir. É dirigido a todos.

O verso diz; “porque todos pecaram

 Todos nós; isto significa: eu o leitor e o mondo inteiro.

“Mas eu não sou um pecador.” Um pode afirmar “não sou como os outros que andam por ai.”

“Eu não sou um criminal ó um delinquente”

O facto é que em comparação com outros o leitor até pode ser considerado uma boa pessoa, digna e um bom membro da comunidade onde vive. Mas isso é nos seus olhos, olhando no exterior fazendo comparações entre si e outros. Mas Deus vê tudo e todos não só no exterior, mas no interior, no coração.

Conhece o seu próprio coração? Que é desesperadamente perverso e que é enganador acima de tudo? – Que dele saí o mal constantemente? E você sabe que quebrou a lei de Deus, os Dez Mandamentos? Não só em algumas partes, mas sim em todas.

Todo homem tem roubado cometido homicídio, tem cobiçado os bens de outros, tomado o Nome do Senhor em vão com lábios ímpios, dito mentiras, adorado imagens, ídolos etc. Uma lista quase sem fim não acha?

“Eu não!” diz você “eu nunca roubei nada na minha vida!” – você me responde.

Talvez exteriormente mas no interior talvez até todos os dias da sua vida o tem feito. Todos nós já tivemos pensamentos de ódio para com outros, todos nós cobiçamos pessoas, poder e luxo. Todos nós mentimos e até a nós mesmos.

Mas que fique claro você e eu fomos criados para adorar Deus não para viver como egoístas consumidos com nós mesmos. Você nunca amou Deus com todo o seu coração e com o seu todo entender. Nenhum de nós tem o feito no passado nem no presente. A nossa obrigação pela lei de Deus é de o adorar com todo energia e mente tempo inteiro em perfeição. Mas todos nós procuramos somente agradar a nós mesmos com as coisas deste mundo. 

Quanta vezes pensa em Deus? Quantas vezes lhe da graças por tudo que lhe tem dado a si. Coisas como por exemplo: vida, saúde, amigos e família.

Já considerou a majestade de Deus? A Sua Santidade? O Seu poder omnipotente demonstrado pela forma que criou o mundo pelo poder de Sua Palavra e tudo que no mundo se encontra?

Já considerou o tamanho do universo? E que Deus é maior que tudo isso – que Ele está por todo lado e sabe tudo do que se passa a qualquer momento e a qualquer hora. Que Deus é completo e justo.

Santo, Santo é o SENHOR, a palavra em si demonstra a Sua qualidade. Deus faz tudo de acordo com a Sua vontade e se Ele diz que faz o que vai fazer então irá acontecer sem qualquer dúvida. Ele sabe quais são as intenções e pensamentos dos homens. Nada Lhe esta escondido.

Já considerou estas coisas? Já adorou Deus como deve?

Se não, então você tem pecado e está culpado perante Deus porque falhou em guardar a lei na sua totalidade. 

Romanos 3:19 “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.”

Você é um devedor perante Deus. Os seus pecados têm-se amontoado numa divida da qual nunca poderá pagar.

Será que agora pode ver por si mesmo o estado lastimável que se encontra?    

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

Lemos em Romanos 3:20 “Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.”

Mas o pecado não é só a simples quebra da lei. É como uma doença um mal que afecta o nosso ser. Entrou no homem quando Adão caiu pela desobediência a Deus no jardim de Éden. Afectando tudo e todos e toda a sua posteridade. O homem simplesmente não agrada Deus. A lei mostra este pecado dentro de nós e mostra a impossibilidade de conseguirmos alcançar o que ela ordena e de satisfazer todos os requerimentos da justiça de Deus.      

Nós somos culpados. Todos nós estamos debaixo da maldição e condenação da lei, a não ser que Deus nos liberte.

Rom 1:18 “Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.”

Apesar de a nossa consciência nos mostrar que estas coisas são a pura da verdade, e que nós somos pecadores e que nos aguarda um julgamento. Mesmo assim o pecado ainda tem efeito sobre nós. Nós não só continuamos em pecado como sentimos prazer quando pecamos. Como nos é dito em Rom Romanos 1:32Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.”  

Mas com Deus não se brinca. Continua assim e o dia da ira de Deus virá mais cedo do que pensa.

E nesse dia todos os homens terão de se apresentar perante Deus e terão de dar contas dos seus actos. E se forem encontrados em divida a justiça de Deus será exercida e a sentença será uma eternidade em separação da fonte da vida e do amor do qual é Deus. Uma eternidade no inferno.

Mateus 13:41-42-43 “Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade.  E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.”

E você tem ouvidos para ouvir?

-óÓó- “Mas” diz você, “então Deus não é o Deus do amor? Não pode Ele perdoar os pecados das pessoas? Talvez olhar para o lado?

Sim é verdade que Deus é amor. Deus é misericordioso lento na Sua ira mas também é correcto e justo por isso mesmo não pode olhar para o pecado. O pecado tem de ser resolvido justamente. A lei que foi quebrada pede punição para o qual tem um preço e esse preço tem que ser pago.

Então não há esperança para ninguém? Quem pode prevalecer perante um Deus santo?

Só se eles forem justos e justificados, Mateus 5:20Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.”

É tudo uma questão de justiça. A lei de Deus descreve a justiça do homem, se ao homem fosse possível cumprir. Mas ele se encontra incapaz de a cumprir por causa da sua natureza pecadora. Não importa o quanto ele se esforça, não importa o quanto tentamos satisfazer Deus nesta vida, não importa se tentamos ser religiosos nós acabamos sempre em falha do padrão de Deus porque tudo que fazemos esta contaminado com o nosso pecado.

Isaías 64:6Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam.

Romanos 3:23Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” assim diz Deus…

Então como pode ser alguém justo perante Deus?

Através de um outro. Nós necessitamos que justiça seja feita num outro. Nós precisamos que o preço da lei seja pago e que o resgate seja efectuado. Que a justiça de Deus seja satisfeita. Que o pecado seja lavado. Nós precisamos que a nossa natureza pecadora seja resolvida e modificada. Nós precisamos de um novo coração. Como o salmista Davi escreveu quando ele viu o quanto era pecador perante Deus. Salmo 51:10Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto

Dê louvor a Deus pois Deus mostra um novo caminho.

Deus enviou o Seu único Filho para o mundo para morrer em lugar de pecadores. Para sofrer o castigo que eles devem. Isto a fim de satisfazer a ira de Deus e providenciar um caminho para pecadores a fim de serem justos e justificados perante um Deus Santo.

João 3:16Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Ó que amor é este mostrado para pecadores culpados e pestilentos. Que esse mesmo Deus havia dado o Seu Filho para sofrer no lugar deles.

Deus na pessoa de Seu Filho, em equação com o Pai tomou em si a forma de homem. Cristo humilhou-se ao ponto de se tornar homem. Nascido de uma virgem tomando a natureza humana em união com a Sua natureza divina. Ele era homem como nós mas sem pecado, perfeito na Sua natureza. Ele sabia qual era o nosso estado humano pois também sentiu fome, sede, cansaço sabendo o que é sofrer, o que é ser tentado como nós somos tentados. Mas com uma excepção, Jesus Cristo nunca soube o que é pecar. Completamente sem pecado, perfeito na Sua natureza sendo assim o único sacrifício aceitável perante Deus a fim de pagar o preço pelos pecados do Seu povo. Porque não importa a quantidade de sacrifícios de ovelhas e cordeiros oferecidos por padres humanos na lei levitical, estes nunca poderiam fazer absolvição pelos nossos pecados pois a infecção do pecado também está nos animais. Porque estes sacrifícios em si não eram equivalente para aqueles que eram oferecidos e os padres por sua vez estando marcados pelo pecado sendo pecadores nunca poderiam oferecer um sacrifício perfeito aceitável por Deus. Eram também pecadores necessitando também que alguém por eles oferece-se um sacrifício. Mas Cristo o cordeiro perfeito de Deus desde da fundação deste mundo deu a Sua vida na cruz uma vez para sempre derramando o Seu sangue – o Justo pelo injusto.

Ele foi “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.  Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.” Isías 53:5-6-7

Quando Jesus Cristo o Filho de Deus foi crucificado na cruz Ele deu a Sua vida por Sua livre vontade para que o Seu povo fosse livre do pecado. Ele sofreu pelo Seu povo para retirar o castigo que o Seu povo por justiça devia e o merecia – o inocente morreu no lugar do culpado.

Cristo veio ao mundo para salvar pecadores, (injustos) mas não pelos justos.

Romanos 5:6-9Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.  Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

Cristo morreu pagando o preço pelos pecados do Seu povo ainda eles sendo pecadores.

Tomando em si o castigo que por lei eles mereciam. Sofrendo a maldição da lei em si e assim libertando o Seu povo da maldição da lei livrando-os da ira de Deus. Lei que grita maldição a quem ainda esta sobre o seu domínio a quem a não cumprir por completo e em perfeição. Deus derramou a sua justa ira sobre o seu Filho na cruz e que agonias Cristo sofreu. Sofrendo a separação do Pai e os horríveis tormentos dos justos castigos de Deus Pai no Seu corpo e no Seu Espírito. Ó que amor.

O Justo morreu no lugar dos ímpios. O sangue de Cristo foi derramado para lavar os pecados dos pecadores. Para os limpar e justificar perante Deus para os fazer justos como Ele é justo.

Sim agora o Seu povo é justificado perante Deus. Pessoas que eram pecadoras encapáveis de adorar Deus como deviam, foram por Cristo justificadas. Mas não através dos esforços do homem, ó méritos mas sim pelo sacrifício de Cristo na cruz e o sangue que Dele foi derramado. Sendo vestidas com o robe da justiça de Cristo que Deus lhes oferece através do derrame do sangue de Seu amado Filho.

É este o significado quando lemos na palavra de Deus que Deus é Justo e o Justificador dos ímpios. Assim o pecado é considerado justamente na Justiça divina de Deus. Não olhando para o lado nem ignorado o pecado do homem mas sim punido e removido esse pecado em Cristo.

2 Coríntios 5:21 “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.

A justiça de Deus.

 Não só os pecados dos pecadores foram punidos em Cristo mas como também esses pecadores recebem perdão através do sangue de Cristo sendo justificados por Deus em Cristo – Romanos 3:21-22Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé de Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.

Deus trouxe uma justiça para pecadores até mesmo a justiça de Deus para todos que acreditam no Seu Filho. Não há outro caminho para o perdão de pecados ó forma de fugir a ira que há-de vir com consequências de uma eternidade em separação para com Deus no inferno.

Foge do pecado e acredita no Filho de Deus. Acredita no Senhor Jesus Cristo.

Que amor que Deus revela aos pecadores. Que graça – que valimento que Deus dá a pecadores sem qualquer mérito, pecadores que o odeiam e que são inimizade para com Deus.

Perdido nos seus pecados parece não haver esperança – como pode Deus ser misericordioso contigo? O quanto mais tenta agradar a Deus mais em pecado cai.

Então não há esperança?

Deus trouxe-nos uma salvação sem preço através de Cristo Senhor, através da fé no Seu sacrifício na cruz, esta salvação é para pecadores como você e eu.

Romanos 5:20-21Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor.”

É este o Evangelho de Cristo as boas notícias da salvação que por Ele Samos salvos.

Mateus 1:21E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.

João 19:30E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

Este é um trabalho consumado, acabado, nada mais há por concluir. Cristo fez tudo que era necessário para salvar o seu povo – não há mais nada para fazer mas só olhar para Ele e acreditar. Veja que amor é este.

Que Grande Salvador.

1 Coríntios 15:4E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.

A morte não tinha poder sobre Ele – Ele ressuscitou e agora está sentado a direita de Deus Pai com todo poder e Gloria sobre os seus inimigos tendo-os debaixo dos Seus pés.     

 Exalte e preze Deus.

Ainda se lembra do verso?

 “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

Caro leitor – será que você se vê como um pecador? Será que ainda está perdido nos seus pecados? Se não sabe quem é Cristo então a bíblia diz que você é pecador e que você necessita de se por correcto com o Espírito Santo.

Mas será que Deus já lhe mostrou o quanto está perdido? Será que Deus já o levou a ver que você é pecador perante Ele? Se você confessar que é então arrependa-se dos seus pecados e acredite em Cristo que só Cristo o pode justificar e lhe dar vida eterna. Grite por misericórdia. Procure Cristo enquanto Ele se pode encontrar e vire-se a Ele quem sozinho o pode libertar e perdoar dos seus pecados.      

2 Coríntios 6:2 “(Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável E socorri-te no dia da salvação; Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação).

AMEM.

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

November 14, 2007

 

Tradução feita por:

Luis Gomes

 

Em Romanos 3:21 nós lemos a revelação e a manifestação da justiça de Deus no Evangelho – a gloriosa frase ‘mas agora’. Este maravilhoso alicerce do Evangelho contém a verdade pelo qual o pecador é justificado por ter a justiça de Deus por acção e resultado da morte de Cristo em substituição de pecadores. Esta extraordinária revelação é a nós exposta no capítulo 3:21 até 3:26 da carta para romanos. No verso 22 nós podemos ler como a justiça de Deus é exposta há luz do Evangelho.

Romanos 3:22Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.”

Como se manifestou esta justiça? Como foi que Deus revelou a Sua Justiça no Evangelho?

Deus revelou a sua justiça por meio da fé de Jesus Cristo – foi a fé de Cristo Jesus que trouxe há luz a justiça de Deus no Evangelho. Que gloriosa verdade. Mas por vezes um pode nem a ver e até mesmo ignorar. Esta frase “pela fé (de) Jesus Cristo” é a perfeita tradução que se encontra na bíblia ‘King James Authorised version’, que por sua vez é um melhor trabalho de tradução dos textos originais do que a bíblia de JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA do qual eu tenho usado neste trabalho. Por esta razão desejo mostrar como chegai a conclusão de que a frase que se encontra em Rom 3:22 ‘pela fé em Jesus Cristo’ na bíblia portuguesa contêm um erro de tradução mas uma simples palavra e um simples erro muda tudo. Nós que acreditamos em Deus Pai e no nosso Senhor Jesus Cristo sabemos que somos justificados pela fé de Cristo não pela nossa fé em Cristo. As fés que temos em Cristo não são a causa da justificação mas sim a consequência da justificação, o efeito da causa. A razão pelo qual temos fé em Cristo é a justificação que Deus nos da por Jesus Cristo ter dado a Sua vida e sangue na cruz. Foi este acto de misericórdia que nos justifica e assim retirou todos os pecados do povo de Deus. Como podemos ler se tivermos um pouco de entendimento da língua Inglesa. (Rom 3:22 “Even the righteousness of God which is by faith of Jesus Christ unto all and upon all them that believe: for there is no difference:”)

 

 

 

Esta é de facto uma frase de grande importância e uma que podemos encontrar repetida em outras passagens das escrituras. Por exemplo: em Gálatas 2:16 encontramos o mesmo erro na tradução portuguesa, vejamos; Gála 2:16  “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.”

O que deveríamos ler é o seguinte ‘mas pela fé de Jesus Cristo’ o ‘em’ é um erro de tradução do grego. E digo isto porque se nós não somos justificados pelas obras da lei como podemos nós então ler neste verso que somos justificados pela nossa fé em Cristo. Não somos justificados pela nossa fé em Cristo mas sim pela fé de Cristo. Como acima referi, fé é o efeito da causa e não a causa da justificação. Este mesmo verso retirado da bíblia KJV lesse-se não ‘em’ mas sim ‘pela fé de Cristo’ leia e compare – Gála 2:16 “Knowing that a man is not justified by the works of the law, but by the faith of Jesus Christ, even we have believed in Jesus Christ, that we might be justified by the faith of Christ, and not by the works of the law: for by the works of the law shall no flesh be justified.” Justificados pelo trabalho de Deus pela fé de Jesus Cristo!

Traduções incorrectas

 Este erro e outros têm de ser respondidos. Infelizmente teremos de gastar algum tempo a fim de poder varrer estes erros que em função torna o Evangelho obscuro e por vezes confuso. Estes erros são por defeito encontrados somente nas novas traduções da bíblia, digo isto por que é um facto real. A tradução dos textos originais especialmente o novo testamento de grego para Inglês encontrado na KJV é o mais correcto com uma percentagem de 99% de veracidade. Mas infelizmente com as novas traduções da bíblia a percentagem de veracidade diminui em contra partida com a KJV. Por esta razão é fácil agora compreender o porquê de tanta confusão nestes versos. Estes erros como outros encontrados nas novas traduções escondem em vez de revelar a justiça de Deus no Evangelho pela fé de Jesus Cristo.

Porque é que os tradutores escolheram alterar as passagens desta forma?

É difícil somente examinando o grego na sua forma gramatical e síntese, quando as frases são retiradas isoladamente. E é isto que tem acontecido em algumas traduções modernas. Mas quando todo contexto é considerado se torna bastante claro o seu significado. Tanto a KJV como a bíblia de Tyndale’s se encontra passagens como aquelas acima referidas correctas e sem dúvidas com perfeita concordância com os textos originais. O Espírito Santo nestas passagens fala da fé de Cristo não sobre a nossa fé em Cristo. Não é tanto as diferenças no contexto de um verso ou o significado de uma frase no grego o que leva as modernas traduções a errar são as interpretações teológicas. Isto mais do que nada tem afectado a tradução destes versos nas bíblias modernas ‘versões’. Apesar da grande maioria de provas no grego as traduções destas frases descansam do lado que a frase lesse-se ‘pela fé de Cristo’. Nas palavras originais gregas pode ser contestado que há uma certa ambiguidade sobre as palavras o que a podem levar a ser entendida de varias formas. Mas esse entendimento é só prolongado se a tradução for ‘de’ e não ‘em’. Por exemplo na língua inglesa a frase (‘faith of Christ’ “fé de Cristo”) poderia ser entendido mais de que uma forma, por exemplo; como a fé pessoal de Cristo ó a Sua convicção ó a fé que nós temos que vem de Cristo. Qualquer das formas quando traduzido (‘faith in Jesus Christ’ “fé em Cristo”) só há uma forma de se poder entender e não duas – ‘our’ nossa fé em Jesus Cristo. Eis aqueles que fizeram a tradução desta passagem desta forma tiveram que forçar sobre suas mesmas interpretações decidindo por eles mesmos o que é que a frase significa. Que por regra põe efectivamente de fora a leitura da frase significando a fé pessoal ó a convicção de Cristo. Por isto podemos ver que a interpretação do texto veio em primeiro lugar em vez da tradução, em vez de dar uma interpretação do seu significado após tradução.

Isto faz de uma tradução um perigo com precedentes destrutivos da verdade, do qual o Espírito Santo pôs nestas passagens de grande importância doutrinal. Poucas são as passagens de escritura onde é necessário uma profunda convicção guiada pelo Espírito Santo do que estas mesmas referidas em Romanos 3:22 e em Gálatas 2:16. Será que agora deixa claro ao leitor que estas traduções modernas do qual têm sido alteradas por interpretações individuais não parciais, deixam estas passagens não só criando duvida sobre os seus significados, mas como também demonstra a imprudência da parte dos seus tradutores.

As exactas traduções destas passagens são de certeza para apontar ‘a fé de Cristo’, como sempre foi traduzido nas várias versões da bíblia em língua inglesa até o século 19, incluindo a “The Great Bibe” “Geneva Bible” “Tyndale’s Bible” e por último a KJV. São as modernas versões da bíblia que contêm erros teológicos, estas aplicam a falsa concepção que é a nossa fé em vez de ser o trabalho de Deus concretizado em Cristo para todo Seu povo. Tendo feito a troca, ‘de’ para ‘em’. Qualquer seja a tradução, seja ela de um documento ou da bíblia deve-se traduzir o que se encontra no original. Após e somente depois da tradução feita é que se pode dar a sua interpretação, após e nunca antes e mais importante do que isso todas as interpretações por si devem de ser guiadas pelo Espírito Santo e não pela ambição do homem.

O original Grego do qual foi traduzido para Inglês a frase traduzida ‘Pistis Christou‘, do qual é um genitivo, e no seu contexto, um genitivo subjectivo significando que a fé do qual fala corresponde ao subjectivo, sendo esse mesmo Jesus Cristo. É a fé de Cristo que está em vista aqui, provas do qual se vê na sua forma escrita, sendo um genitivo subjectivo referisse há de quem pertence – sendo pessoal de Jesus Cristo. Isto pode e é reforçado por gramática similarmente usada noutras passagens do Novo Testamento. A vários outros versos que se refere ao que pertence este sendo pessoal de Cristo ó de Deus, exemplo; (a mão de Deus, o rosto de Jesus Cristo, etc.) 1 Samuel 5:11 “e a mão de Deus muito se agravara ali.”

2 Córi 4:6 “na face de Jesus Cristo”e

 

(A construção do Grego usada em Rom 3:22 e em Gál 2:16, significa ‘fé de Cristo’).

Poucos são aqueles que poderiam por em questão a sua tradução mas quando se refere há ‘fé de Jesus Cristo’ confusão é iminente… porquê? Por causa da sua inclinação teológica dos académicos modernos, atrapalham o entendimento e significado do porquê que o verso se refere há fé pessoal de Cristo. Estes académicos pensam que o escritor deve se referir ‘a nossa fé em Cristo’. Mas nisto eles se enganam, em vez de traduzir o texto eles interpretaram-no, ocultando a verdade ao leitor com as suas interpretações. E fazendo isto eles mudaram o rumo do seu significado e naturalmente o objectivo da verdade que se encontrava no Evangelho, sendo este subjectivo na sua revelação. O texto deve-se ler e ser traduzido como “a fé de Jesus Cristo”, pois é pela fé de Jesus Cristo que a justiça de Deus é revelada no Evangelho.

 

Fé o fealdade     

Agora após termos considerado as traduções correctas podemos começar a considerar o significado das frases em si. O que se pretende entender nestas frases e nos seus versos.

Será que ‘a fé de Jesus Cristo’ refere-se a fé que vem de Cristo? Ó será que se refere a fé pessoal de Cristo ó até mesmo a Sua fealdade?

Estas são perguntas de grande importância para todas as crianças de Deus. Em primeiro lugar Romanos 3:22 não se refere a fé que vêm de Cristo ó o que possamos ter em ligação com Cristo. Quando Paulo pretendia escrever sobre a nossa fé em Cristo ele sempre foi muito específico no Grego que usou. Paulo sabia falar perfeitamente sobre a nossa crença ou sobre a nossa fé em Cristo, em contraste com a fé de Cristo. Está comparação é bem clara se lermos os seguintes versos, Gála 3:26 ó Efés 1:15, Coloss 1:14, ó até mesmo a frase “temos também crido em Jesus Cristo” no mesmo verso de Gála 2:16 usando Novas traduções em contraste com KJV. O Grego muda e muda por uma razão. Quando Paulo escreve “fé de Jesus Cristo” ele não se refere a nossa fé em Cristo, seja essa fé originada por Deus ó por Cristo. Paulo refere-se a fé pessoal de Cristo em Deus Pai.

Então ao que se refere a tradução da palavra Grega ‘pitis’? Será que se refere a fé de Cristo ó a sua fealdade? A mesma palavra Grega pode ser traduzida para inglês com ambos significados mas o preconceito teológico guia alguns a conceder a possibilidade que a tradução encontrada na Novas Traduções está correcta quando fala da fealdade de Cristo encontrada em Rom 3:22, mas o facto permanece… que virtualmente todos os tradutores ingleses entregam há palavra fé da mesma forma quando falam sobre a fé de um crente. Não só isto mas dando a entender que essa fealdade tem a ver com obediência, obras, quando contrario fé tem a ver com crença, confiança e submissão, vendo o contrasto demonstrado em Gála 2:16 sobre as obras da lei e a fé de Jesus Cristo aponta ao facto que não é fealdade mas sim fé do qual está em vista.    

A Justiça De Deus revelada 

Então se a correcta tradução de, Rom 3:22 KJV é “Isto é, a justiça de Deus pela fé de Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” Qual é o significado desta frase? Será que significa que a justiça de Deus é manifestada pela fé de Jesus Cristo, (Rom 3:21-22 KJV)? (Gála 2:16 KJV “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé de Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.“)

Sim, é este o significado preciso desta passagem. Foi a fé de Jesus Cristo que trouxe há luz a justiça de Deus pela qual nós somos justificados. Mas também podemos responder que nós somos justificados pelo sangue de Cristo e pela sua morte na cruz, e isto é também verdade. Nós que acreditamos em Jesus Cristo somos justificados pela Sua morte na cruz, pelo derrame do Seu sangue, tudo isto foi um trabalho de fé. Um acto de fé.

Foi a obediência da fé e não a obediência há lei. A lei não comandava que um deita-se a sua vida por um outro – mas a fé de Cristo revela tanto amor pelo seu povo que enquanto ainda eram pecadores Cristo deu a Sua vida por eles. É isto que nós vemos no Evangelho. Foi por fé que Cristo viveu, Rom 1:17 “Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.” E em fé morreu Hebre 12:2. Eis o porquê que nós somos justificados pela fé de Jesus Cristo. Pela morte de Cristo em substituição, um acto de fé pelo Seu povo do qual amou e deu a Sua vida por eles. Gála 2:20 “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”

Da mesma forma a justiça de Deus é manifestada pela fé de Cristo porque é através da manifestação da Sua justiça da qual somos justificados. Jesus Cristo viveu desde o nascimento até á morte caracterizada e revelando a Sua fé em Deus Pai. Vivendo em constante ligação com Deus Pai, fazendo a vontade do Pai e não a Sua. Vivendo sempre em função há vontade do Pai de livre vontade. Cristo submeteu-se sempre a vontade do Pai andando neste mundo com o Seu olhar fixado no Seu Pai. Cristo foi justo do qual as escrituras falam e como tal o justo vivera da fé. Sem fé é impossível agradar a Deus, Hebre 11:6 “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.”, Assim Jesus agradou Seu Pai em todas as coisas que fez. Mateus 3:17 ” E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”  em Romanos 14 é nos dito, o que não vem por meio de fé é pecado. É bem claro que Cristo que pecado nenhum nele foi encontrado viveu por fé, pois Ele nunca pecou nem uma só vez. Por fé Ele agradou a Deus Pai na fé em que viveu e por fé deu a Sua vida.

Quando Cristo deu a Sua vida, Cristo olhava para Deus Pai para colocar em si os pecados do Seu povo, fazendo Jesus Cristo pecado por eles, desta forma julgando em Si os pecados de outros de acordo com a justiça de Deus em ordem de os poder apagar para que o Seu povo Nele fosse feito justiça tornando-os na justiça de Deus em Cristo. Ao fazer isto a justiça de Deus foi manifestada e Deus Pai recompensou a fé de Cristo em justificar o Seu povo em Cristo. Purificando a Sua Noiva, fazendo a Sua Noiva uma Noiva sem marcas e digna de um Rei.

A Justiça Da Fé   

Em Romanos 10 existe dois contrastes. Dois tipos de justiça.

A justiça da lei, Rom 10:5 o que é que tem de ser feito para se viver. O segundo tipo é a justiça da fé pela qual nasce a crença, –   Rom 10:9A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.”.

É esta justiça da fé que o Evangelho traz a luz revelando a – “justiça de Deus pela fé de Jesus Cristo”. Esta justiça floresce da fé do qual é o cumprimento de todo a lei mas é caracterizada não por obediência legal mas sim pela obediência da fé.

É a fé que caracteriza e Cristo revelado no Evangelho através da Sua mesma fé. Porque nós não somos justificados pelos nossos trabalhos ó obras mas sim, – (Gála 2:16 KJVSabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé de Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.“) eis o porquê que Paulo escreve nas suas cartas Evangelho de Cristo e em Romanos 1:16 Paulo diz: ” Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”  

Mas que sumario do Evangelho. É o poder de Deus para a salvação. Porquê? Porque nele se contêm o Evangelho e a revelação da justiça de Deus. Como é revelada esta justiça?

‘de fé em fé’ o que têm deixado muitos comentadores em plena confusão – porque tudo fica mais claro de se poder compreender.

A justiça de Deus é revelada na fé – mas fé de quem?

É revelada para fé – mas a pergunta surge de quem é esta fé? O significado de Romanos 1:17 é o seguinte; significa que a justiça de Deus foi revelada na fé de Cristo para a nossa fé. Cristo manifestou a justiça de Deus pela Sua fé, –  Rom 3:22 KJV é “Isto é, a justiça de Deus pela fé de Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” E nós somos levados por obra do Espírito Santo a acreditar nessa mesma justiça. Acreditando naquele grande acto de justiça que Cristo realizou em dar a Sua vida na cruz derramando o Seu sangue para a justificação de muitos através da fé que possuía. Deus dá-nos fé para ver a justiça de Deus revelada pela fé de Cristo no Evangelho.

Nesta revelação se encontra a manifestação da justiça de Deus. (Romanos 3:21-22)

A justiça de Deus não é revelada simplesmente no Evangelho para a nossa fé subjectiva mas sim é revelada no Evangelho com objectivo. É esta revelação objectiva no Evangelho pela fé de Cristo do qual saí a justiça de Deus revelada subjectivamente para a nossa fé. “de fé em fé “. Eis que nós podemos agora ver o quanto é importante em termos a tradução correcta destas passagens e como os erros das novas versões da bíblia diminuem a verdade destas mesmas passagens. Porque eles procuram tirar a revelação da justiça de Deus do qual é objectiva no Evangelho e a põem subjectiva há fé do crente. Mas de qualquer forma as escrituras declaram claramente que o Evangelho de Cristo é o poder de Deus para a salvação. “Porque nele se descobre a justiça de Deus” esta revelação está no Evangelho. Como? Em primeiro na vida de Cristo. A vida de Cristo expos a justiça de Deus. Mas em Segundo foi na Sua morte que Cristo expos a justiça de Deus em claro. Foi no julgamento realizado na cruz contra os pecados do Seu povo e enquanto Jesus Cristo olhava para Seu Pai em fé sofrendo na cruz. Foi isto que revelou a justiça de Deus – a fé de Jesus Cristo – e é esta revelação de justiça no Evangelho do qual o povo de Deus é levado a fé. Eis o porquê que Paulo escreve que a justiça de Deus é revelada, “de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.“. 

Esta frase, “Mas o justo viverá da fé,” é absolutamente central para o Evangelho caracterizando-o sendo o coração do assunto. Cristo viveu por fé. Cristo justificou-nos pela sua morte, pela Sua fé. A Sua morte foi em si um acto de fé e por este meio justificou o seu povo, eis o porquê que o seu povo também vive por fé. Cristo na cruz leva pecadores antes mortos para a vida por este acto glorioso de fé. Este trabalho de justificação mais tarde é levado ao Seu povo pela experiencia e através do trabalho regenerativo do Espírito Santo que os dá fé para acreditarem. Estas vidas do qual o Espírito Santo trabalha seguem Cristo em espírito, como aqueles que vivem em fé. Os justos tal e qual como ‘O Justo’ antes deles viveu por fé.

 Quem pode questionar que Cristo viveu em fé? Ó que Ele morreu num acto de fé? Salmo 22 descreve os Seus sofrimentos. A linguagem neste salmo reflecte a pura fé e confiança em Deus. Da mesma forma se pode observar em, –  Habac 2:4 Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.”. Hebreus 10:38 diz o mesmo e no seguinte capítulo (11) a fé é definida a fim de poder mostrar que “sem fé é impossível agradar a Deus” vendo também no mesmo verso enumeras vidas vividas em fé. Vidas como as de Noé, Abraão, Raabe que agradaram Deus.

Cristo o nosso anunciador

No final do capitulo 11 e entrando no seguinte capitulo chegamos ao ponto central – Cristo. Aqui a atenção é virada naquele grande anunciador da fé – Cristo. Cristo não é somente o objectivo da nossa fé ou final da nossa fé, mas sim “o Justo” do qual as escrituras se referem. Foi Cristo muito tempo antes de nós que viveu pela fé e eis a razão do qual é chamado o anunciador da fé.  – Hebr 12:2 “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé” aqui neste verso as palavras, autor e consumador, são palavras traduzidas do Grego mas em original o seu significado tem por efeito um significado maior e mais profundo. Uma melhor tradução destas palavras seria – ‘olhando para Jesus o chefe [o capitão] e o fim [o objecto] da fé’. Nós olhamos para Jesus sendo o fim e o objecto da nossa fé, mas Cristo também é o chefe da nossa fé e o capitão da fé. Cristo foi o primeiro antes de nós que viveu pela fé do qual agora nós seguimos.

O que é que Cristo fez em fé? – Ele sofreu e suportou a cruz, apesar da humilhação. Por quê? Pelo gozo que lhe estava proposto. Qual gozo? A justificação de todos aqueles que o Pai lhe tinha dado antes da criação do mundo. A fim de serem unidos na ressurreição para a vida com a Sua noiva (Igreja). Para viver para sempre em eternidade com todos aqueles justificados pelo Seu sangue. Foi esse o gozo que Jesus sentia, e é esta a Sua satisfação. –  Isaí 53:11Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si.

Cristo em deitando a Sua vida por pecadores confiou no Seu Pai não só numa confiança completa mas também com um absoluto conhecimento. (“com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos) Mas que grande fé contando Deus Pai fiel no que Lhe tinha prometido. Cristo guardava isto como verdadeiro no Seu coração: que Deus iria colocar sobre Si os pecados do Seu povo. Povo este escolhido muito antes do mundo ter sido criado. É neste acto de suportar e de receber os pecados de muitos e de receber o justo julgamento na cruz por esses mesmos pecados que essas pessoas seriam realmente e verdadeiramente justificadas através da Sua morte. Cristo tinha uma fé perfeita no Seu Pai e na aliança que tinha sido feita antes de o mundo ter sido feito. Quando em Getsêmani o Filho de Deus enfrentou a taça que em breve teria de beber, apesar daquele terrível panorama que o aguardava a Sua fé não diminui, mas sim, de livre vontade submeteu-se há vontade do Pai. E quando na cruz bebeu daquela taça tomou em Si os pecados do Seu povo, sendo agredido e pisado, magoado sem conta pelo derrame da ira de Deus contra esses pecados.

No momento em que a ira de Deus foi derramada, Cristo foi abandonado pelo Seu Pai em qual regaço sempre vivera.

Será que a fé de Cristo lhe falhou naquele momento? Não, Cristo aguentou o amargo até ao fim. Ele tinha uma fé perfeita, uma confiança pura, que Deus o iria ressuscitar. E no terceiro dia ressuscitou com vitória triunfante tendo justificado o Seu povo para sempre. É verdade e uma verdade de se admirar e de dar graças a Deus, porque a morte e ressurreição de Cristo foi o trabalho de fé mais maravilhoso que alguma vez foi feito. Fé perfeita de um Homem perfeito. O ultimo Adão – Jesus Cristo nosso Senhor.

Justificados pela fé de Cristo

Em final vejamos novamente –

Gála 2:16 KJVSabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé (de) Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé (de) Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

Como é o homem justificado? Pelas obras da lei? Não, mas sim pela fé de Cristo. Não é pela  nossa fé que temos em Cristo. A nossa fé não nos justifica, é a morte de Cristo pelo qual somos justificados. Então é ‘pela fé de Cristo’. Porquê? Porque a morte de Cristo foi um acto da fé que possuía.

Qual é o resultado de ser justificado pela morte de Cristo? O resultado é que passamos a acreditamos em Jesus Cristo e na justiça de Deus. Mas a nossa crença não é a causa da ou razão de sermos justificados. A nossa crença ou fé é o resultado da nossa justificação trazida aos nossos corações pelo Espírito. A nossa crença traz-nos a um conhecimento experimental da nossa justificação perante Deus, subjectivamente no qual Deus declara uma sentença de justificação nos nossos corações, mas é Deus que nos justifica objectivamente na Pessoa de Jesus Cristo, o qual derramou o Seu sangue pelo Seu povo. E quando Jesus Cristo derramou o Seu sangue por essas pessoas a justiça de Deus foi para essas todas desde daquele momento e aplicada pelo Espírito sobre todos eles quando eles acreditam, Rom 3:22 KJV ” Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” Porque nós somos justificados não pelas obras da lei, mas pela fé de Jesus Cristo… Hebr 12:2 “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.”

Ó meu Deus dei-a nos o dom da Sua graça para que possamos ver a gloria do seu trabalho em Cristo, aquele trabalho de fé pelo qual Ele justificou o Seu povo para sempre. Dei-a nos graça SENHOR para acreditar e para viver em fé olhando para o nosso Senhor Jesus Cristo o autor e o fim da nossa fé.

Amem.       

Read Full Post »

Trabalho de Ian Potts

Novembro 19, 2008

 

Tradução feita por Luís Gomes

 

“Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” Romanos 3:21-22

O homem que ouviu o alarme que Deus faz soar através do evangelho, (alarme este que se revela contra todo pecado e injustiça) desperta-o e lhe mostra que está condenado numa condição constante de inimizade para com Deus. Mesmo tendo-se esforçado a vir a Deus por sua força, ele encontra-se incapaz encontrando sim a Lei de Deus e como ele está longe de a poder cumprir – encontrando-se unicamente condenado pela lei ao ponto que até o que faz correcto para com Deus tudo é visto como trapos imundos. É por este meio que o Espírito Santo trabalha a fim de mostrar a condenação do pecado do homem perante Deus.  

E que estado! O homem sente-se desesperado ao ver ira de Deus para com os seus pecados sentindo no coração como a sua justiça para com Deus não é nada mais do que trapos imundos cheios de iniquidade. O quanto está o homem culpado perante Deus que ainda se encontra no estado natural. O Espírito Santo de Deus oferece e mostra o conhecimento do pecado através da Santa Lei de Deus. Lei que lhe é carimbada no coração pelo trabalho e ofício do Espírito Santo. Este conhecimento não se vem a realizar por obras e sabedorias de filósofos mas sim obra de Deus mostrando que o homem está convicto e o quanto é miserável e pecador. Sendo levado por vezes a gritar tal como Jó em tempos passados.

Na verdade sei que assim é; porque, como se justificaria o homem para com Deus?” Jó 9:2

Como pode o homem se encontrar justo perante Deus?

Quando os nossos pecados por si nos condena. Como? Quando a ira de Deus é revelada para contra os nossos pecados e contra a alma que é impura.

Quando nós tentamos cumprir a Lei e falhamos miseravelmente.

Quando todas as nossas melhores obras e justiças são nada mais do que trapos imundos para com Deus.

Como?

Como pode o homem por si mesmo ser visto justo perante Deus? Nunca. Porque Deus requer uma justiça perfeita e nós por sua vez nos encontramos incapazes de a poder oferecer. Porque os nossos pecados só nos afastam ainda mais de Deus que é Santo.

Como?

É com esta pergunta que Paulo da começo e responde com o seguinte glorioso início “e agora” em Romanos 3:21. Este magnífico ponto de partida da revelação do Evangelho do qual Paulo procede em Romanos 3:21 até ao capítulo 5 lança as boas notícias do Evangelho e responde às grandes necessidades do homem – para como ser justo perante Deus.

“Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” Romanos. 3:21-22

Paulo abre o epistolo para romanos por primeiro introduzir e revelar para nós a Glória da pessoa de Jesus Cristo nosso Senhor (Romanos. 1:1-4).

Depois de ter mostrado as mas notícias da condição perpétua do homem para com Deus, (início do capitulo 1:18 até capitulo 3:20) Paulo começa em 3:21 a dar as boas notícias do trabalho de Cristo revelado no Evangelho de Deus. Tendo mostrado claramente a forma do proceder do homem na sua rebeldia contra Deus. Paulo mostra o que Deus fez na pessoa de Jesus Cristo a fim de salvar o Seu povo do pecado e da morte.

Aqui nós podemos ver esse trabalho para o qual Deus usa para a justificação do Seu povo. Como Deus redime e os resgata o Seu povo da Sua mesma ira. Aqui está o trabalho da Fé no qual trás a justiça de Deus do qual abafa a Ira de Deus contra os pecados do seu povo. Esse trabalho de cessação acalma e põe um fim a ira de Deus por completo.  

Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para connosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” Romanos 5:6-8

“Mas também por nós, a quem será tomado em conta, os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor; O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.” Romanos 4:24-25

É verdade que o homem está culpado perante Deus, a lei o condena, a ira de Deus é lhe revelada contra toda a sua injustiça e pecado. E é verdade que o homem no seu estado natural não tem força nem vontade nem muito menos desejo algum para se virar para Deus e Lhe pedir perdão. Isto é verdade, mas agora! Diz Paulo com advertência a fim de explicar o estado natural do homem.

Através da queda e rebeldia de Adão todo homem tem pecado. Todos se encontram curtos e longe da Glória de Deus. Todos se têm extraviado pela falta de entendimento. Mas agora mesmo que ninguém procure encontrar Deus, agora nós vemos um outro Homem um segundo Homem, perfeito e sem pecado. O último Adão – Cristo que nunca soube o que é pecado viveu em perfeita justiça e sempre justo perante Deus Pai vivendo pela Fé que possuía no Seu Pai. Um Homem perfeito sendo Deus e Homem podendo assim alcançar os Céus e a terra. Cristo que é o único caminho para Deus. Cristo que das alturas mais gloriosas veio a este mundo escuro e perverso cheio de desespero a fim de dar luz. Veio para dar entrada a muitos deste mesmo mundo que se encontram mortos espiritualmente. Cristo veio para o derradeiro para o maligno para o mais fraco e o mais nauseante chefe dos pecadores a fim de reconciliar estas criaturas pobres e miseráveis. Criaturas como eu e você para com o nosso Deus e Pai. Não só por um momento mas sim para sempre. Não só por uma hora mas sim para toda eternidade. Nisto podemos ver Jesus Cristo – o Filho de Deus e o salvador de pecadores.  

E agora     

Agora é a nós manifestada a perfeita Justiça de Deus. A justiça de Deus em Si mesmo. Não só a justiça de Deus que exige do homem afim que ele possa viver neste mundo numa vida mortal. Não foi a justiça da lei dada ao povo de Israel através de Moisés afim de o povo poder viver, não era esta a justiça da lei? Claro que sim, e ainda mais afirmo: se alguém do povo de Israel não cumprisse a lei, esse mesmo teriam de morrer. Mas agora vemos uma outra justiça – a Justiça de Deus que é revelada no Evangelho. Essa Justiça revelada no Evangelho se torna no poder de Deus para a salvação. – (Romanos 1:16-17) “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

Caro leitor sem esta justiça nenhum homem pode ser justo perante Deus. Ninguém se pode aproximar de Deus mas agora aqui no Evangelho Deus trás a única justiça que Lhe é aceitável. Não só perante o exige da lei mas sim também aceite por Deus para a vida eterna.

Mas agora a Justiça de Deus é manifestada sem a lei, “Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença” Romanos 3:21-22

Esta justiça foi testemunhada por vários profetas e pela Lei – ambos o apontam, foi declarada e visionada, mas só na vinda de Cristo e pelo Evangelho esta é revelada e realizada. Deus revelou esta justiça pelo julgamento efectuado na cruz para que fosse atribuída a todos os que acreditam no Seu Filho, “note, não antes mas agora” como está escrito em Romanos 3:21 e finalmente se faz manifesto. Finalmente foi revelada para todos aqueles a quem foi prometida.

Mas agora pela Fé (de) Jesus Cristo a Justiça divina de Deus é a nós manifestada sem o cumprimento da Lei.    

O que é esta justiça?

O que é a Justiça de Deus?

Bem em primeiro lugar e sobre tudo esta Justiça “é sem a Lei” e ” à parte da Lei”. Rom 3:21 expõe isto bem claro – Isto não diz que está contra a lei ó que é contrário há Lei, mas sim que esta justiça veio por um outro meio. Uma outra base e princípio por completo. Esta justiça não vem por meio da lei nem é a justiça de Cristo pelas obras da lei mas sim a Justiça de Deus aparte da Lei. Não é uma simples justiça nem é requerida pelos homens mas sim uma Justiça Divina que é fixa nos homens que acreditam.

 

Por esta razão vemos que as escrituras usam o termo; “a Justiça de Deus” em ordem de exprimir a sua divindade. Por exemplo a frase, “a justiça de Cristo” é uma frase inexistente nas escritura). A Justiça de Deus não veio por meio da lei mas sim “pela Fé (de) Jesus Cristo”(Rom 3:21). “Isto não é a Justiça de Cristo com a lei… como não é a Justiça de Cristo por obras da lei por mérito de Jesus Cristo” mas sim a Justiça de Deus sem a lei… “até mesmo a Justiça de Deus por meio da Fé (de) Jesus Cristo”.

É por Fé e nada de obras como esta referida em Romanos 10pela Justiça da Fé” em contrasto com a Justiça pela lei. Não só se refere como a justiça é recebida no coração do crente mas também como é estabelecida e apontada aos que crêem no Evangelho – “Isto é, a justiça de Deus pela fé de Jesus Cristo “, por meio do Evangelho, “Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”

Se esta justiça de Deus se manifesta no Evangelho como sendo sem a lei, será que significa que é contrário da lei? Nada disso porque esta justiça foi testemunhada pela lei. A Lei tendo sido dada ao homem por Deus, tendo assim formalizado a Santidade, Justiça e a Bondade de Deus.

Tanto a Lei como o Evangelho vieram do mesmo Deus. Tanto a lei como o Evangelho revelam o Carácter e Justiça de Deus. É simples de se afirmar que a justiça de Deus revelada pela Fé de Jesus Cristo no Evangelho é muito mais grandiosa e muito mais gloriosa, alcançando aquilo que a lei dada a Moisés nunca poderia alcançar.

Esta Justiça de Deus sendo revelada pela Fé de Cristo exemplificada a total revelação da Justiça de Deus e o Seu carácter. É esta Justiça que nós necessitamos para sermos justos perante Deus e de sermos vistos perante Deus perfeitos e correctos. Esta Justiça não só abrange a lei em todos os aspectos mas como a transige. É desta forma em que o homem é elevado a compreender o carácter de Deus na Sua infinita Divindade. 

Visualize na sua mente a luz solar: a Lei comprimida pelos Dez Mandamentos foi como ter essa luz passando por dez painéis de vidro pintado. Visualiza uma casa uma só janela e essa composta dos dez painéis, quantos raios solares poderão passar livremente por ela? Poderá deixar passar alguns raios, mas por causa da obscuridade dos painéis pouca luz é emitida deixando as paredes da casa em escuridão. É isto que a lei representa. Mas se nós colocarmo-nos fora da casa, debaixo do sol do meio-dia o contraste é exuberante não acha? Como o sol é muito mais brilhante e glorioso com os seus raios luminosos, o quanto mais é gloriosa essa luz.

A Justiça de Deus revelada no Evangelho de Cristo é como o brilhar do sol no meio-dia. Tendo-se retirado a Lei da sua frente a glória e a Justiça de Deus é vista com muito mais clareza. É o mesmo Deus que esta por detrás da Lei e do Evangelho e é o mesmo sol que brilha e sua luz nos ilumina (porque Deus nunca muda). Mas agora o que antes foi obstruído pela Lei (os dez painéis) e o que tinha sido secreto estando por de trás do véu (lei) visto por em tipos e sombras, é agora manifestado por completo em Cristo… e agora… a Justiça de Deus sem a Lei é manifestada até a Justiça de Deus pela fé de Cristo Jesus: João 1:17-18 Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.  Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigénito, que está no seio do Pai, esse o revelou.”

1 João 2:8 Outra vez vos escrevo um mandamento novo, que é verdadeiro nele e em vós; porque vão passando as trevas, e já a verdadeira luz ilumina.”

Em Romanos 1:18 é revelado a Ira de Deus contra toda impiedade e injustiça dos homens. Desde 1:18 até 3:20 Paulo põe há prova que todos os homens, tanto judeus como gentios estão sobre o domínio do pecado, trazendo-os como culpados perante Deus. Paulo mostra que, “nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.” Diante de Deus, porque, “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.”

A justiça de Deus é agora oferecida a todos que acreditam em Jesus Cristo mas tendo em conta que esta justiça não é merecida por qualquer mérito nosso – porque não há um que seja justo, nem um sequer. Nem sequer Adão muito menos toda a sua posteridade.

Mas o agora de Romanos 3:21-22 diz que Deus trouxe uma justiça sem a lei sendo perfeita e agora manifestada ao Seu povo para o Seu povo através da obra de Um outro Homem, Jesus Cristo – “Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.”

(Relembro a falha e o erro no verso 3:21 de Romanos efectuada por João Ferreira de Almeida do qual não se encontra em acordo com os textos originais, eis a razão do qual o ‘de’  esta entre parenteses no verso  ‘Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo’ afim de o leitor saber onde ouve alteração e por si mesmo descobrir a verdade do facto. Veja a explicação no seguinte artigo)    

Porque é que Deus trouxe esta justiça? Para nos livrar das nossas injustiça e nos salvar da ira que está para vir. Para justiçar os injustos mas note que esta justiça não ignora os nossos pecados, mas sim julga esses mesmos pecados num outro (Jesus Cristo). (Rom 3:26)Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.”

Na palavra de Deus podemos ler que a revelação da ira de Deus é revelada contra toda impiedade e injustiça dos homens.

Mas agora… Deus revelou a Sua Justiça na fé de Jesus Cristo a fim de ser o propício da ira de Deus contra os pecados do Seu povo. Para os apagar para sempre assim responder e tranquilizar a ira de Deus. Porque a ira de Deus arde constantemente contra o pecado ódio e rebeldia desta humanidade perversa. Tudo isto é inimizade para com Deus e a Sua Justiça tem de ser saciada e respondida. A ira de Deus tem de ser despejada sobre o injusto e sobre este mundo. Tem que ser exacta contra todas as transgressões dos homens e contra todas as infracções da Lei divina de Deus. A humanidade abriu as portas para a fúria total da ira de Deus encontrando-se não só indefesa na sua revelação, mas como também adormecida aguardando a vinda do Ultimo Dia e o seu final encontro com o julgamento de Deus. Ira que se encontra contra todos os pecadores injustificados e que ainda se encontram na sua incredulidade. Este Dia rapidamente se torna próximo num passo rápido e persistente. Apesar da revelação de Deus no Evangelho esta mesma humanidade encontra-se não só estúpida mas como também cega e totalmente demente na sua rebeldia, fechando assim os seus olhos e ouvidos há verdade de Deus e do julgamento que há-de vir.

Mas todos aqueles que Deus ensinou e ainda ensina; para aqueles que Deus acordou e acorda; para aqueles que Deus já condenou e agora condena no espírito e no coração, foram e são levados a sentirem a fúria da ira de Deus contra os seus pecados e injustiças. Estes gritaram e agora gritam em desespero “como pode o homem ser justo perante Deus?” esses gritam por piedade e perdão…

E você diga lá se Já gritou?

É aqui no Evangelho de Deus que se encontra a resposta para todos os corações quebrados e arrependidos, ” Aquele que me resgatou e que pagou um preço por mim.”

Por quem? Um outro Homem. Aqui ouvimos de Um que foi entregue. Um… ( Romanos 4:25)O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação“, quem? “Mas Deus prova o seu amor para connosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” Morreu por nós que acreditamos. Quando ainda sendo inimigos de Deus, Deus os reconciliou para Ele mesmo, (Romanos 5:10) Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.”

O furor da ira de Deus se mostrava impiedosamente contra os pecados do seu povo, mas agora a justiça de Deus é manifesta porque Cristo foi feito propício para nós através da fé no Seu sangue, (Rom 3:25) “Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;” pelo qual a ira de Deus é satisfeita e propiciada porque a Sua ira foi derramada na sua totalidade contra todos os pecados, e todas as transgressões do seu povo em Cristo. Foi derramada sobre Aquele que sofreu e morreu em substituição do seu povo. Aquele que os redimiu pelo Seu próprio sangue, Aquele que os justiça e que pagou o preço. Aquele que se apropriou das ofensas de outros como sendo Suas. Aquele que tirou os pecados por completo julgando-os de acordo com a justa justiça de Deus no Seu mesmo corpo. É esta justiça que Jesus Cristo trouxe através do julgamento para a conta deles (seu povo), olhando em fé para Seu Pai enquanto sofria a crucificação enquanto abandonado e posto fora tornando-se no substituto de pecadores. Cristo foi amaldiçoado por vez deles. Pregado a uma cruz e elevado acima da terra para sofrer tormentos imagináveis e angústias incontáveis no lugar de todos aqueles que Ele amou. Foi desta forma que a ira de Deus foi propiciada. É desta forma que a justiça de Deus é oferecida para todos que acreditam e é assim que Deus justifica o Seu povo. Não virando o rosto ao pecado mas sim por ter julgado todos os pecados do Seu povo no Seu querido Filho Jesus Cristo nosso Senhor. Note bem, os pecados foram julgados. No passado, não são agora ou serão mais tarde julgados, foram julgados em Cristo. 

(Rom 3:24-26) “Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;  Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.”

É desta forma que Deus manifesta a Sua Justiça e a forma como justifica o Seu povo – através da morte de Cristo. Tudo na cruz e na morte de Cristo.

Todos os pecados e todo povo de Deus do maior ao menor foram unidos em Cristo na cruz e em Cristo foram julgados em plena perfeição de acordo com a perfeita justiça de Deus. Jesus Cristo tomou em Si a ira de Deus vinda dos céus e pela Sua obediência na cruz e na morte toda a ira de Deus foi silenciada para sempre sobrando nada. Pois há agora nada mais para o Seu povo que tanto amou que tenha de pagar ou que se encontre razão de culpa. Não há mais pecado no Seu povo. 

2 Corí 5:21Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” A partir deste momento essa justiça é “para todos que acreditam” (Rom 3:22) e sobre todos aqueles que nascem de novo pelo trabalho do Espírito Santo sendo acordados da morte para a vida e transportados das trevas para a luz dando-lhes fé para com Cristo que os lavou dos pecados fazendo-os justos pela justiça de Deus em Si mesmo. Por todos aqueles que Jesus Cristo deu a Sua vida em troca morrendo e sofrendo na cruz serão levados a ter fé em Cristo por obra de Deus. Sendo a justiça de Deus para todos aqueles que acreditam. 

Rom 3:22 “Isto é, a justiça de Deus pela fé (de) Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.” Um povo que antes eram injustos, incorrectos, iludidos, adúlteros, avarentos, idólatras, bebedores, ladrões.

1 Corí 6:11 “E é o que alguns têm sido;” …Mas agora. .” mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.”

 

Dêem graças ao nosso Deus por este termo “mas agora” a justiça veio para aqueles que eram injusto. Justiça pela qual pecadores como eu são justificados e santificados tende todos os pecados redimidos e a ira de Deus agora propiciada nos nossos corações. O perdão é manifestado os mortos são conduzidos a vida, e os homens são reconciliados para com Deus. E tudo por graças do trabalho de Cristo que por fé salvou aqueles que são levados a ter fé somente em Cristo para a salvação e não neles mesmos. Cristo Salvador que por graça procurou salvar e salvou todos aqueles que o não desejavam.      

 

Cristo fez isto tudo!

 

Efésios 2:8 “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”

 

Dêem louvor a Deus pelo “mas agora” de Romanos 3:21 do Evangelho de Deus. 

 

Romanos 1:18Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.” Mas agora…                

Read Full Post »

Trabalho de:

Ian Potts

November 26, 2007

 

Tradução por:

Luís Gomes

 

 

Paulo inicia a sua carta para Romanos declarando o seu desejo de pregar o Evangelho Cristo, “o evangelho de Deus… Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne; Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor” Paulo deposita uma confiança absoluta neste Evangelho sendo o poder de Deus para salvação.

 

(Rom. 1:16) “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.”

 Com o princípio, (Rom. 1:17)Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” depois Paulo conheça em capitulo 1 verso 18 a abrir e a expandir as verdades em cada capitulo.

 Pergunta:

Onde é que Paulo começa? Onde é que o leitor começaria?

Em muitas igrejas nos dias de hoje começariam por falar do amor de Deus o sobre a afabilidade de Deus para com a humanidade. Ó até talvez começariam por tentar oferecer aos pecadores algo que lhes falte em suas vidas. Algo para ajudá-los a sentirem-se melhor com eles mesmos. Isto não acontece com Paulo.

Paulo não menciona o amor de Deus até chegar ao capítulo 5. Então onde é que Paulo começa? Paulo começa com o princípio.

 Mas a onde começa o Evangelho de Cristo. Vejamos, leia Marcos 1:1-3 ele nos diz…

(Marcos 1:1-3) “PRINCÍPIO do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus; Como está escrito nos profetas: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas.”

O Evangelho começa com uma voz a clamar no deserto. ‘Preparai o caminho do Senhor.’ É Este o princípio. O que é que esta voz grita? Na carta para Romanos esta voz que diz, prepara o caminho do Senhor, declara o seguinte:

 (Rom. 1:18-20) Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.  Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;”

Um princípio: A Revelação da Ira de Deus

É desta forma que o Evangelho de Deus começa – começa com uma declaração. A Ira de Deus é revelada contra toda impiedade e injustiça dos homens. Começa com uma voz preparando o caminho para o Senhor dizendo aos homens que eles por natureza, são pecadores e que a ira de Deus está revelada contra esses pecados. 

É aqui que o Evangelho deve começar. Porque o Evangelho revela Cristo o Salvador de pecadores. É este o poder de Deus para salvação. É este o verdadeiro caminho para Cristo! Então temos que procurar pecadores que necessitam salvação, revelando-lhes o estado em que eles (todos nós) se encontram para com Deus, e a grande necessidade de se encontrarem em Cristo Jesus Salvador. São estes que estão perdidos neste mundo, mortos espiritualmente para com Deus, e os quais Deus faz suar o alarme. Um alarme que revela a Sua Ira contra toda impiedade e injustiça dos homens. Tal como foi revelada ao povo de Israel no monte Sinai após a saída do Egipto, e das garras sangrentas do faraó.

A grande maioria das instituições religiosas do mundo de hoje procuram convencer pessoas a serem Cristas. Mostrando-lhes um melhor caminho para no qual viver, mas todos aqueles que são enviados de Deus para anunciar o evangelho não são enviados para torcer vontades ó educar religião com cursos. Os enviados de Deus procuram as ovelhas do Senhor que estão perdidas por este mundo fora, a fim de lhes pregar a mensagem da salvação. Procurar e encontrar aqueles que se encontram em profundo desespero é o drive de homens que por Deus são instruídos e guiados. Ao encontrar as ovelhas do Senhor, estas se encontram famintas e cheias de sede pela verdade. Estes pobres pecadores são aqueles que o Espírito já lhes convenceu do pecado, justiça e do julgamento que á de vir. Sabem que a morte e eternidade os esperam a porta, e são estes que necessitam de ouvir falar sobre o Evangelho de Cristo Salvador.

O facto é este, até que Deus nos revele a falta que temos em sermos salvos a mensagem do Salvador não têm significado. Jesus disse por Suas mesmas palavras:

  E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.” Mateus 15:24. 

(Marcos. 2:17) “E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.”  

Sim o alarme tem que ser tocado, e o Evangelho anunciado por todos os telhados deste mundo fora… e é para este mesmo fim que Paulo em Romanos grita em capítulos 1:18 até capitulo 3:20, demonstra com provas incontestáveis que todo o homem está sobre o domínio do pecado, isto a fim de avisar as eternas consequências deste mesmo estado em que o se encontra.

(Rom. 2:8-9) Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade; Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;”

Há duas categorias de homens

Neste capitulo, Paulo divide a humanidade em duas categorias, judeus ou grego. Ó são religiosos ó gentios. Uma classe vai a igreja e a outra classe gosta de divertimento e de boas festas. Podem ser devotos ó então inúteis, mesmo que tenham as escrituras como o povo antigo judeu, em que tinha grande orgulho e confessam seguir Deus ó então vivem no mundo sem qualquer pensamento para com Deus vivendo egoistamente tratando só dos seus interesses e prazeres. Paulo mostra neste epistolo que todos são iguais a cerca de um respeito. Todos estão mortos em pecado. Fora de Cristo seja religioso ou não, judeu ó grego, pois não há diferença, todos têm pecado, todos são culpados perante Deus, todos se mostram condenados perante Deus, todos têm se extraviado virando costas para o Criador, todos são contenciosos e desobedientes à verdade rejeitando a sua revelação. Então por esta razão todos se encontram condenados e sem desculpa.

Três revelações da Luz

Porquê que é que os homens não têm desculpa? Porque a todos foi revelado a verdade de Deus de uma forma ou de outra, queira percebam o não. Desde de romanos 1:20 até romanos 3:9, o Espírito Santo nos mostra três revelações de Luz sobre a verdade de Deus e o que tem feito para o homem. Para o qual toda humanidade é mostra responsável, e mais cedo do que tarde terá que dar contas. Esta Luz de Deus deixa o homem sem desculpa.

Porque há Luz no acto da criação, luz na consciência e luz nas escrituras.

Em primeiro lugar há luz no acto da criação. Nós lemos em; (Rom. 1:19-20) “Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;”

Em segundo lugar, há luz na consciência; (Rom. 2:14-15) “Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;”

Ambas as revelações sobre Deus são feitas para todo homem, seja ele judeu ó gentio, religioso ó não religioso. Todos os homens têm o testemunho da criação do mundo por toda á parte, sobre o poder e Divindade do seu Criador. Todo homem por natureza têm consciência para o qual contêm testemunho da verdade e no qual frui em entender a diferença entre o bom e o mal. Mesmo assim por natureza todo homem ignora todas estas revelações. Ignoram a luz exterior e a luz interior sendo assim cegos para ambas por mérito dos seus pecados e depravação. Esta depravação é real e revelada no resto do capítulo 1, para o qual faz de uma leitura lúcida uma boa representação do estado do homem em pecado – o seu estado e o meu.

Ainda há uma terceira revelação da qual Paulo se refere e a qual se encontra nas escrituras.

(Rom. 3:1-2)QUAL é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.” Então podemos ver que o judeu tinha uma vantagem sobre os gentios por possuir a palavra de Deus, mas eles também estavam sobre o domínio do pecado. De certa forma por o judeu pensar em ter uma vantagem, eles como muitos outros do mundo religioso dos dias de hoje facilmente caíam na mesma decepção. Esta é uma armadilha muito antiga. Por se julgarem melhores que outros caiem em orgulho próprio. Por pensarem em ter mais Luz julgam outros, mas essa Luz manifesta-se exteriormente e não penetra no interior do coração, permanecendo pecadores e cegos para a verdade de Deus. 

(Rom. 2:17-29) “Eis que tu que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;  E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei; E confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, Instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei; Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio? Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós. Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna em incircuncisão. Se, pois, a incircuncisão guardar os preceitos da lei, porventura a incircuncisão não será reputada como circuncisão? E a incircuncisão que por natureza o é, se cumpre a lei, não te julgará porventura a ti, que pela letra e circuncisão és transgressor da lei? Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus.”

Então a Lei que Deus deu aos judeus fez as coisas melhores? – Não, de forma alguma, mas fez as coisas piores, porque a lei condena. A Lei veio para que haja o conhecimento do pecado tornando-nos condenáveis diante de Deus.

 (Rom. 3:19) “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.”

Como podemos ver Deus declara-se nos céus, no coração do homem e nas escrituras, (Bíblia Santa).

Mesmo tendo Deus a revelar todo isto quem é que vê? Quem compreende?

(Rom. 3:23) Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”

Não é surpresa que todo o homem está sem desculpa perante Deus. Não é surpresa que a Ira de Deus é revelada diante de toda impiedade e injustiça dos homens que guardam a verdade em injustiça. Porquê? Porque apesar destas três revelações de Luz que foram dadas para a humanidade o homem ainda se revolta contra a verdade, fugindo da verdade e Luz de Deus.

Apesar de hoje em dia termos estas três revelações da Luz de Deus, sermos beneficiados por termos o Evangelho, apesar disto tudo, o coração do homem é pecador, e maligno por natureza. Tão duro e sombrio é o coração do homem natural que nenhuma luz lhe consegue penetrar. Entra por um ouvido sai pelo outro. Nós podemos olhar, podemos ouvir, ler mas no fim ouvimos nada e vimos nada. O homem por natureza nada pode fazer, nem quer. A humanidade está sem entendimento e por natureza ninguém procura Deus.

Não há resposta neutra para Deus – todos nós extraviamos. (Rom. 3:9-12) “Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.”

Uma revelação interior:

Qualquer homem que se encontre em pecado resiste e não vem a Deus. A não ser que Deus por meio do Espírito Santo lhe abra o coração, e lhe faça brilhar a Luz da glória de Cristo. Só quando Deus nos revela a verdade, não somente no exterior mas sim no interior nas partes mais profundas do coração do homem, é que ele vem a Deus. Até essa altura nós permanecemos na escuridão. Podemos ouvir as palavras de um pastor ó até mesmo ler a bíblia diariamente, e continuar na escuridão. Porque a pergunta que deve perguntar a si mesmo é a seguinte: Já ouviu a voz do Espírito de Deus anunciando e revelando aquele alarme que Deus revela nas escrituras no seu coração? Será que pode afirmar com toda a certeza que Deste lhe falou no interior? Será que já lhe foi revelado o quanto está culpado e sem forma de pagamento?  

Visto que é Deus Espírito Santo que através da palavra quando anunciada, abre os ouvidos para ouvir, e os olhos para ver. Dando-nos Luz para ver a verdade do quanto a alma é corrupta e suja. Só então é que nós pecadores podemos ver um pouco do quanto somos depravados e nauseantes por natureza diante de Deus. Ai sim pode-se ver como somos cruéis, sujos e injustos perante um Deus puro e Glorioso.do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.” É só nessa altura que nós podemos olhar para Deus e Lhe pedir perdão.

Deus tem uma resposta no Seu evangelho para pecadores que o procuram nestas circunstâncias. Quando o nosso pecado é revelado, e em conjunto podemos ver o nosso estado corrupto perante Deus, quando aquele alarme toca e diz, o caminho está preparado, aí sim, nós conseguimos ouvir, e também falar compreendendo quem é o Salvador de pecadores, o Senhor Jesus Cristo. Realizando, nós escolhidos por Deus Pai, o trabalho que Deus fez por nós pecadores na cruz.

Já chegaste a este ponto? Será que podes afirmar teres ouvido o Evangelho e foi este Evangelho que ouviste no princípio? Já ouviste aquela voz que diz, prepara o caminho do Senhor. 

Já chegaste a este lugar?

Será que no passado, lá no princípio do teu caminho na fé terá sido este Cristo que ouviste ó foi outro Cristo?

Foi assim que começava o Evangelho que ouviste no passado? Prepara o caminho do Senhor!

Já te foi revelado que és pecador com a necessidade de um Salvador porque por ti mesmo nunca te poderás salvar? O será que na tua sabedoria como Paulo diz em, (Rom. 1:22) ” Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.”

Read Full Post »