Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Crerão’

Trabalho de Ian Potts

Novembro 6, 2007

 

Tradução feita por Luís Gomes

Como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?

 

Terá um que ouvir o Evangelho em ordem de poder entrar na salvação?

A resposta para esta pergunta é ‘sim’ um terá que ouvir o Evangelho sendo esta a regra geral. Esta resposta não é uma opinião minha porque aquilo que eu penso não importa. O que importa é o que a Palavra de Deus diz sobre este mesmo assunto – qualquer que seja a verdade que guardamos esta tem que ser baseada na Palavra de Deus. Pelas minhas leituras da bíblia, eu não só vejo e acredito neste facto como Deus repete em várias passagens esta mesma grande necessidade de ouvir o Evangelho. E por ouvir o apregoar do Evangelho de Deus na sua verdade que Deus por Sua vez se agrada em salvar pecadores. Umas pequenas referências retiradas da bíblia irão sem dúvida expor este mesmo facto sem que haja uma grande advertência da minha parte.

 

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.Romanos 1:16.

 

Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.” 1 Coríntios 1:21

 

Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do SENHOR permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.1 Pedro 1:23,25

 

Aqui estão somente três versos entre outros que demonstram que o Evangelho é o poder de Deus para a salvação e que Deus se agrada pela loucura da pregação desse mesmo Evangelho afim de salvar aqueles que acreditam, nascidos novamente (regenerados pelo Espírito Santo) pela Palavra de Deus. Essa mesma palavra sendo apregoada para nós no Evangelho.

 

Com toda a certeza podemos afirmar que Deus é soberano e que por Sua vez faz tudo de acordo com a Sua mesma vontade. O poder de Deus não está obstruído afim que tenha que usar a pregação do Evangelho afim de poder salvar aqueles que ainda restam neste mundo – não, Deus poderia ter usado outra forma mas esta foi a forma que Lhe agradou e forma que escolheu para a realização do Seu trabalho. Deus poderia ter-se agradado em salvar pecadores somente pelo trabalho do Espírito efectuado no interior do pecador sem que houvesse a necessidade da pregação do Evangelho. Mas aquilo que Deus pode fazer e aquilo que Deus faz são duas coisas totalmente diferentes. O facto é este; as escrituras se repetem várias vezes indicando que Deus se agrada pela loucura da pregação para salvar aqueles que acreditam. É esta a forma e não há outra. Porquê? Porque assim Deus confunde o sábio, ou aquele que se julga sábio, em ter homens fracos e pobres falando e fazendo suar a Sua Palavra sagrada pelos seus lábios para a salvação de outros (veja 1Coríntios 1), porque foi desta forma que Deus se agradou em expor a verdade sobre a salvação levada ao fim e através do Senhor Jesus Cristo na Sua infinita sabedoria.

 

A verdade é que existe pessoas que reagem a esta verdade com uma certa ambiguidade desculpando-se que reagem sim mas com motivos bons e particularmente benéficos, (que por sua fez são infiéis a vontade de Deus). Estas mesmas pessoas reconhecendo que a salvação é inteiramente da autoria e obra de Deus que até que o homem nasça de novo pelo Espírito Santo ele se encontra morto em pecados e ofensas incapaz de compreender as verdades de Deus correctamente. Que o homem só pode acreditar no Evangelho quando Deus agarra esse homem e o regenera dando-lhe o dom da fé para que ele possa acreditar no Evangelho e em Cristo. É impossível ao homem no seu estado natural com a sua mente corrupta acreditar nas verdades reveladas pelo Evangelho de Deus, nem muito menos no Cristo que Deus enviou. Esse homem enquanto na sua natureza que herdou pelo seu pai Adão encontra-se fraco sem habilidade para se virar para Deus e sem fé para acreditar. Em vendo estas tremendas barreiras entre outras das quais agora não menciono que muitos chegaram a perversa conclusão que a pregação do Evangelho não é suficiente para salvar o pecador porque o homem em primeiro lugar necessita de ser regenerado pelo Espírito Santo antes que possa compreender e acreditar nesse mesmo Evangelho. Então eles afirmam que a regeneração (o novo nascimento) é um acto soberano de Deus sem que haja a necessidade de ouvir o Evangelho, e com o resulto do novo nascimento o homem recebe o dom da fé para que depois possa acreditar no Evangelho quando o ouve. Algumas destas pessoas dividiram a coisas em duas etapas da qual eles expressam a regeneração pelo Espírito (sem que a necessidade de ouvir o Evangelho, a palavra de Deus) e depois sim a (conversão pelo Evangelho) onde a pessoa já tendo sido regenerada ouve o Evangelho e acredita com a fé que receberá pelo Espírito na regeneração.

 

Agora vejamos:

Tudo isto parece-se um quanto plausível e é certamente baseado em alguma verdade, mas 1Coríntios 2:11-16 afirma que o homem natural (antes de nascer de novo) não consegue compreender coisas espirituais que até que ele nasça de novo pelo Espírito ele não pode compreender a verdade do Evangelho.  Algumas coisas podem fazer sentido para a mente e intelecto humano mas não correctamente. Mesmo isto sendo verdade e enquanto o homem não consegue acreditar no Evangelho até que Deus o regenere (fazendo nascer de novo pelo Espírito) porque naturalmente este não tem a fé (fé é uma oferta de Deus) de qualquer forma isto não altera o facto que Deus disse que é através da pregação do Evangelho que Ele se agrada em salvar o Seu povo. Romanos 10:13-17 aplica uma forte ênfase na necessidade na pregação do Evangelho e que a fé vem “ pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”. Para que se possa acreditar no Evangelho um tem que nascer de novo pelo poder soberano de Deus. Mas Deus se agrada em acordar e em regenerar pecadores para a vida debaixo ou tendo como resultado o ouvir da palavra de Deus pela pregação do Evangelho. É desta forma que Deus se agrada em trabalhar e este trabalho é inteiramente efectuado pela graça e misericórdia soberana de Deus mas também é verdade que o Espírito Santo escolhe trabalhar através da pregação do Evangelho pelos lábios dos homens que Ele chama e envia para o apregoar afim de acordar pecadores para a vida. Deus mostra soberanamente a Sua palavra como sendo a semente e quando Deus se agrada Ele causa essa semente a brotar e trazer fruto para a vida nos corações daqueles que Deus escolheu em Cristo.

 

 

A sequência de eventos é algo como isto: um pecador ouve um apregoador enviado por Deus a anunciar o Evangelho. No começo estando morto em ofensas e pecados o pecador não consegue verdadeiramente compreender o Evangelho – ele permanece morto. Ele pode até compreender alguns factos do evangelho na sua mente (na sua mente natural) mas na realidade estes permanecem como sendo simples factos um conhecimento natural. Ele nunca vem a ver Cristo através dom da fé, nem consegue ver como Cristo se manifesta no Seu poder e graça, nem sente a experiencia da vida eterna que existe em Cristo pela residência e ocupação do Espírito Santo no coração. Este pecador ouve somente a palavra do Evangelho na sua forma exterior, ele ouve vários factos e pode até vir a compreendê-los num certo degrau, (ele acredita mas com uma persuasão natural) como sendo correcto com o intelecto natural mas de qualquer forma o seu coração permanece-se inalterado continuando morto espiritualmente. E este estado de incredibilidade pode-se permanecer durante vários anos até ao dia da sua morte. Outros se não são os eleitos de Deus ficarão neste estado até o dia da morte. Algumas pessoas colocam-se debaixo da pregação do Evangelho pelas suas vidas fora mas nunca são salvas pelo ouvir do Evangelho. Porque não é o ouvir da Palavra no exterior que salva. É isto que é importante de se reconhecer, O Filho de Deus tem que nos falar no interior em ordem de nos acordar para a vida.

 

Para os eleitos de Deus há uma altura que foi escolhida através da soberania de Deus, através da pregação do Evangelho em que Deus se agrada em regenerar essa pessoa para a vida. Dando-lhe um coração novo e garantindo-lhes fé para acreditar na verdade que ouve. Nessa altura a palavra deixa de ser recebida na sua forma exterior e passam a ser recebidas no interior, palavras vindas do Espírito Santo cheias de vida e poder. Tendo sido alarmado pelo Evangelho para a verdade do dia do julgamento, tendo sido acordado para a condição que se apresenta; pecador perante Deus. Tendo sido convencido de pecado e justiça, agora, sendo nascido de novo pela Palavra de Deus (sendo transmitida pelo apregoador mas também pelo Espírito interiormente dentro do coração), esta criança eleita de Deus recebe fé e por essa fé ele vem a ver Cristo na Sua realidade no Evangelho e acredita em Cristo na verdade abraçando-o para a salvação para a libertação da ira que há-de vir. As palavras que antes ouvia no Evangelho eram recebidas como palavras mortas mas agora são recebidas no seu coração como palavras vivas o que era um mistério é lhe agora revelado, sendo nascido de novo sabe quem é Cristo, o poder de Deus como é revelado no Evangelho.

 

Pode agora ver e compreender a razão para todos aqueles que questionam a importância da pregação do Evangelho na salvação que de facto é correcto em reconhecer que a regeneração é um acto soberano do Espírito Santo de Deus e os que afirmam esta verdade estão correctos em reconhecer também que o Evangelho quando anunciado pelo homem pode permanecer como uma palavra morta, palavras simples que somente enchem a mente mas nunca entra no coração durante a vida. 

Como é errado separar aquilo que Deus uniu. É errado separar o novo nascimento pela obra soberana do Espírito de Deus quando este é efectuado pelo ouvir do Evangelho ou a palavra de Deus quando apregoada.

 

É errado reagir a erros como os dos evangelistas modernos quando eles colocam uma forte ênfase na habilidade do homem para acreditar pela sua suposta ‘livre-vontade’ e de uma natural habilidade para acreditar se não rejeitarmos também a ênfase em pregar o Evangelho para a salvação como se propusesse uma natural habilidade da parte do homem para acreditar. As escrituras ensinam repetidamente e em vários lugares que a salvação é inteiramente obra de Deus, mas que Deus usa a loucura da pregação do Evangelho para salvar aqueles que acreditam.

 

Quem são eles que acreditam?

São os eleitos de Deus escolhidos em Cristo antes de o mundo ter sido criado sendo por Cristo redimidos na cruz para serem soberanamente nascidos de novo pela providência do Espírito e Palavra de Deus, “Mas a palavra do SENHOR permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.1Pedro 1:25. Deus usa a pregação do Evangelho para salvar o Seu povo. Mas nem todos que ouvem o Evangelho com o ouvir exterior serão salvos, pois por natureza estão mortos em ofensas e pecados, mesmo assim Deus se agrada em tomar essa palavra exterior que é apregoada por aqueles que Ele por Sua vez enviou para pregar e usa essa palavra falando no coração aqueles que Lhe pertencem pelo Seu Espírito Santo, acordando-os e garantir-lhes fé para que eles possam acreditar na palavra para a salvação das suas almas.

 

No livro de Ezequiel capítulo 37 nos lemos sobre a visão que ele recebeu a respeito do vale dos ossos e como Deus comandou Ezequiel a profetizar sobre esses mesmos ossos para que eles pudessem viver. Teve o Ezequiel alguma habilidade para trazer aqueles ossos para a vida? Ó podem as palavras de um simples homem trazer vida para aquele que está morto? Não, claro que não afirma qualquer pessoa de bom senso. Somente o poder de Deus é que pode trabalhar tal milagre não acha. Mesmo assim neste caso da visão de Ezequiel Deus se agradou em mostra o Seu poder em ter o Seu profeta pregando para os ossos. Deus nesta respectiva visão trabalhou afim de trazer os ossos de novo para a vida através da pregação de Ezequiel. Tendo esta visão como imagem e tipo da pregação do Evangelho e sua proclamação para pecadores mortos em ofensas e pecados ‘ossos sequíssimos’ que estão totalmente dependentes sobre a gratuita graça divina de Deus para receberem vida. O poder para que isto se realize não depende do pregador (pastor) ou na sua eloquência e escolha de palavras mas sim do Evangelho pregado e quando aplicado poderosamente pelo Espírito Santo no coração do ouvinte que neste caso é eleito por Deus de acordo com o Seu mesmo propósito.

 

Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.João 5:25. É esta a forma usual que Deus usa do qual se agrada em salvar pecadores – através da palavra de Deus, através da pregação do Evangelho, não só na palavra “Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós.1Tessalonicenses 1:5.

Aquele Evangelho que marca e demonstra a Pessoa e Obra do Senhor Jesus Cristo. Aquele Evangelho que Paulo não se envergonhava pois “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.Romanos 1:16.

 

Alguns podem se contentar com excepções a esta regra e apontam para as excepcionais conversões como a de Saul na Rua para Damasco (Actos 9), o que de facto é verdade que Deus pode e tem salvado certas pessoas em casos semelhantes e excepcionais por uma intercessão directa do Evangelho vinda do Céu. Deus é soberano e Todo-poderoso. Mas também vemos que este tipo de conversão não é usual ou a forma que Deus se agrada em trabalhar. Não podemos agarrar a excepção de um dos apóstolos e derrubar aquilo que Deus declarou nas escrituras sobre a pregação do Evangelho. Deus se agradou pela pregação do Evangelho em salvar aqueles que acreditam e é por isto que Deus através dos tempos tem enviado pregadores do Evangelho para o proclamar em poder através do Espírito Santo para que pecadores eleitos venham a ouvir quem é Jesus Cristo, o Salvador de pecadores para serem nascidos de novo pela palavra de Deus através do poder do Espírito Santo e por Deus receberem fé para acreditar no Senhor Jesus Cristo para a salvação das suas almas. Não é surpresa nenhuma em compreender agora o porquê de Paulo escrever, “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.

Anúncios

Read Full Post »